Beckham no Milan agrada Capello mas dúvidas permanecem

domingo, 22 de março de 2009 12:01 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - Fabio Capello afirmou que está satisfeito com o fato de David Beckham ficar no Milan até o final da temporada, mas que isso não garante um lugar para o jogador na seleção da Inglaterra.

Beckham jogará pelo Milan, no Campeonato Italiano, e pelo Los Angeles Galaxy, nos Estados Unidos --o que significa que o meio-campo, que fará 34 anos em maio, jogará sem intervalos por 15 meses antes da Copa do Mundo do ano que vem, na África do Sul.

Capello foi citado por jornais britânicos neste domingo afirmando que apenas a forma física, não a idade, determinará se Beckham estará presente nas próximas convocações da seleção inglesa.

Capello disse ao Sunday Mirror que assistiu os últimos jogos de Beckham pelo Milan e ficou "muito feliz com suas atuações".

"A idade do jogador não importa. Estou procurando os melhores jogadores. A Itália ainda conta com Fabio Cannavaro e ele tem 35 anos. Eu olho outras coisas", acrescentou.

Mas Capello está preocupado com o fato de o nível do futebol na liga americana não ser tão alto quando o da Europa.

"Beckham tomou uma decisão pessoal", disse o técnico italiano. "O nível do futebol na América é diferente. Neste momento, é importante para ele jogar na Europa --não apenas no Milan, mas na Europa", disse.

"O futebol americano não está no mesmo nível do italiano, espanhol, alemão e inglês, isso é certo."

Ex-capitão da seleção inglesa, Beckham voltará a Los Angeles em meados de julho, quando jogará pelo Galaxy até o final da temporada em novembro.

Apesar da expectativa de estar no time de Capello para as próximas partidas contra a Eslováquia e Ucrânia, o Galaxy tem afirmado que não vai liberar Beckham para amistosos contra a Holanda, no dia 12 de agosto, e Eslovênia, em 5 de setembro.

 
<p>Fabio Capello afirmou que est&aacute; satisfeito com o fato de David Beckham ficar no Milan at&eacute; o final da temporada, mas que isso n&atilde;o garante um lugar para o jogador na sele&ccedil;&atilde;o da Inglaterra. REUTERS/Fadi Al-Assaad (QATAR)</p>