Lippi sofre pressão por ausência de Cassano na seleção italiana

terça-feira, 24 de março de 2009 12:15 BRT
 

MILÃO (Reuters) - O técnico da seleção italiana, Marcello Lippi, recusou-se a explicar por que voltou a deixar o atacante da Sampdoria Antonio Cassano de fora das próximas partidas da equipe nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, apesar do bom momento vivido pelo jogador.

Cassano, de 26 anos, ficou de fora da convocação de Lippi para os jogos contra Montenegro, no sábado, e Irlanda, em 1o de abril, apesar dos problemas encontrados pelo técnico para montar o ataque da Itália.

"Vocês sabem que eu só falo de jogadores que estão aqui", disse Lippi, em entrevista coletiva, após o primeiro treino da Itália para os jogos do Grupo 8, em Florença, nesta terça-feira.

"Não tenho que dar explicações para as minhas decisões. Tenho as minhas convicções e não tenho que dar motivos. E isso não é porque sou arrogante."

Cassano, ex-jogador da Roma e do Real Madrid, tem uma reputação de causar problemas dentro e fora de campo, mas amadureceu muito nas últimas duas temporadas na Samp, o que levou a mídia italiana a defender sua convocação.

Ele esteve na seleção treinada por Roberto Donadoni que foi à Euro 2008, mas Lippi o mantém longe da equipe desde então, assim como o atacante da Juventus Alessandro Del Piero, que também tem o apoio da mídia e da torcida.

O atacante Giampaolo Pazzini, companheiro de Cassano na Samp e convocado por Lippi pela primeira vez para as próximas partidas, defendeu o treinador.

"É mais fácil marcar gols graças aos passes de Cassano, mas eu também fiz muitos gols em jogadas minhas", disse Pazzini, que marcou oito vezes em oito jogos do Campeonato Italiano desde que foi contratado em janeiro da Fiorentina.

"Vamos lembrar que Lippi é um campeão mundial e ele é quem toma a decisão final. Para mim, chegar à seleção italiana é uma grande satisfação."

(Por Mark Meadows)

 
<p>O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o italiana, Marcello Lippi, em uma coletiva de imprensa, em Coverciano. 28/03/2009. REUTERS/Giampiero Sposito</p>