26 de Março de 2009 / às 14:13 / 8 anos atrás

Hamilton enfrenta um novo e grande desafio: o bicampeonato

<p>Piloto da McLaren Lewis Hamilton joga cr&iacute;quete durante evento com a imprensa em Melbourne. 26/03/2009. REUTERS/Tim Wimborne</p>

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Lewis Hamilton inicia a temporada da Fórmula 1 como o mais jovem campeão da categoria e almejando se tornar o primeiro britânico a conquistar o bicampeonato consecutivo.

Este promete ser o maior desafio para o piloto de 24 anos da McLaren, em um ano de novos regulamentos, um carro que decepcionou nos treinos e uma série de rivais ávidos por tirá-lo do caminho.

Os compatriotas Jackie Stewart (1969, 1971, 1973), Jim Clark (1963, 1965) e Graham Hill (1962, 1968), apesar dos títulos, jamais conseguiram dois títulos consecutivos.

Entre os que conseguiram o bicampeonato estão alguns dos grandes do esporte, como o italiano Alberto Ascari, o argentino Juan Manuel Fangio, o australiano Jack Brabham, o francês Alain Prost, o brasileiro Ayrton Senna, o finlandês Mika Hakkinen, o alemão Michael Schumacher e o espanhol Fernando Alonso.

Hamilton poderia já estar entre eles se não tivesse perdido o título para Kimi Raikkonen por um único ponto em sua brilhante temporada de estreia em 2007.

O britânico quase estragou tudo novamente no ano passado, derrotando o brasileiro Felipe Massa pela mesma diferença de pontos na última corrida em Interlagos, mas agora está pronto para subir o próximo degrau.

“Se você é alpinista e escalou o Everest, não tem medo de subir de novo. É algo que você sabe ser capaz de fazer”, disse Ron Dennis, presidente da McLaren.

“O que você faz é buscar novas maneiras de chegar lá. Os desafios este ano, com os novos regulamentos, são diferentes do ano passado. Assim como um alpinista varia sua rota, acho que assim devemos encarar o enfoque de Lewis”, acrescentou.

“Ele vai se concentrar muito nas áreas em que precisa evoluir.”

DÚVIDAS

Embora Hamilton esteja mais tranquilo, mais seguro e mais ambicioso do que nunca, qualquer piloto fica limitado se seu carro não corre tanto quando os outros.

A McLaren admitiu que seu carro ainda não é veloz o suficiente para brigar por vitórias, e a grande pergunta é quando a equipe vai virar o jogo agora que os testes estão proibidos assim que a temporada se inicia.

Mas mesmo que esteja em desvantagem na corrida de domingo na Austrália, nem tudo está perdido para Hamilton.

“A McLaren largou em 648 grandes prêmios. Vencemos 162 deles e fizemos 431 pódios. Temos orgulho desse histórico e temos fé na capacidade de nossos engenheiros de trabalhar duro para deixar o MP4-24 em condições de ampliar esse histórico”, disse o chefe da equipe, Martin Whitmarsh, na semana passada.

“Na história da F1, muitas vezes equipes bem sucedidas começaram com um carro que não andava tão bem quanto gostariam, mas recolocaram seus carros na linha de frente do grid em pouquíssimo tempo.”

Ex-campeões não duvidam que, se a McLaren conseguir colocar a casa em ordem, Hamilton pode triunfar novamente. O simples fato de ter conquistado o título foi uma libertação, que permitiu ao piloto atingir outro patamar de confiança e maturidade.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below