Tensão política ofusca duelo das Coreias nas eliminatórias

terça-feira, 31 de março de 2009 10:07 BRT
 

Por Jack Kim

SEUL (Reuters) - Em meio à tensão militar provocada pelo iminente lançamento de um foguete norte-coreano, passou quase despercebida a chegada a Seul da seleção de futebol da Coreia do Norte, para disputar um jogo das eliminatórias da Copa do Mundo de 2010 contra a Coreia do Sul.

O desembarque, no domingo, atraiu muito mais jornalistas do que curiosos, e o time norte-coreano teve um forte esquema de segurança, feito por policiais e agentes de inteligência. Desde então, porém, os jogadores praticamente não foram mais vistos.

A partida de quarta-feira será decisiva para a definição de uma das vagas asiáticas para a Copa da África do Sul, mas o lançamento de um foguete norte-coreano na semana que vem ofuscou o interesse esportivo.

Pyongyang diz que pretende colocar um satélite de comunicações em órbita, enquanto os EUA e seus aliados asiáticos suspeitam que na verdade se trate de um teste disfarçado com o míssil de longo alcance Taepodong-2, o que violaria sanções da ONU contra a Coreia do Norte, em vigor desde 2006.

Em entrevista coletiva na terça-feira, o técnico norte-coreano, Kim Jong-hun, recusou-se a especular sobre se o jogo poderia melhorar as relações entre Norte e Sul. Preferiu exaltar a garra dos seus comandados.

"Nosso espírito de luta é elevado", disse Kim. "Os jogadores têm confiança de que podem enfrentar qualquer time no grupo."

A Coreia do Norte derrotou os Emirados Árabes por 2 x 0 no fim de semana e assumiu a liderança do Grupo 2, mas pode ser ultrapassada caso a Coreia do Sul vença o jogo em Seul.

"Os jogadores e eu estamos plenamente conscientes de como esses três pontos são importantes para avançar na fase de qualificação", disse Kim. "Todos os jogadores estão preparados para jogar com tudo o que têm para ganhar esses três pontos."   Continuação...