F1 volta os olhos para Europa após início movimentado na Ásia

segunda-feira, 6 de abril de 2009 16:27 BRT
 

KUALA LUMPUR (Reuters) - Alguns acontecimentos fora das pistas em território europeu podem movimentar o campeonato de Fórmula 1, enquanto as equipes se preparam para a corrida da próxima semana na China.

A atenção estará voltada para a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e o julgamento de uma petição num tribunal de Paris que irá determinar as regras definitivas sobre os polêmicos difusores traseiros utilizados por algumas equipes.

Se as quatro equipes que protestaram -- BMW-Sauber, Ferrari, Red Bull e Renault -- tiverem êxito em derrubar a decisão dos fiscais de prova dos GPs da Austrália e da Malásia, então os carros da Brawn, Toyota e Williams teriam de ser modificados.

No entanto, se o tribunal independente concordar na audiência do dia 14 abril com os fiscais e determinar que os carros são legais, então Jenson Button deve continuar levando a Brawn a uma primeira temporada incrível.

"Duas das três equipes com esses difusores estão claramente mais rápidas", disse o chefe da equipe BMW, Mario Theissen. "A Brawn como número um e depois a Toyota".

A FIA, com sede em Paris, e seu presidente, Max Mosley, também vão considerar novas sanções contra a McLaren por ter "enganado propositalmente" os fiscais da corrida na Austrália.

A equipe já foi excluída da classificação na prova que abriu a temporada em Melbourne. Especula-se que a escuderia ainda pode ser multada e perder outros pontos no Mundial de Construtores.

"Estamos agora esperando relatórios dos observadores da FIA antes de considerar uma investigação futura sobre a conduta da equipe", disse um porta-voz da FIA.

Em Maranello, sede da campeã Ferrari, um inquérito deve ser aberto para averiguar as causas do pior início de temporada da escuderia em 17 anos.

A Ferrari ainda não marcou pontos este ano e está em último lugar na classificação do campeonato.

(Reportagem de Alan Baldwin)