Saída de Dennis deixa Hamilton surpreso, mas não decepcionado

sexta-feira, 17 de abril de 2009 12:09 BRT
 

Por Nick Mulvenney

XANGAI (Reuters) - O atual campeão mundial de Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton, ficou surpreso ao saber que o seu mentor e ex-chefe de equipe da McLaren, Ron Dennis, decidiu deixar a categoria, mas afirmou que o dirigente sempre terá um papel em sua vida.

Com a equipe envolvida em polêmicas após ter sido considerada culpada por mentir para comissários de prova no Grande Prêmio da Austrália, o primeiro desta temporada, Dennis anunciou na quinta-feira que não participaria mais da Fórmula 1.

"Não fiquei decepcionado. Fiquei surpreso. Não tinha ouvido nada sobre isso. Fiquei surpreso como o restante da equipe", afirmou Hamilton a repórteres no Grande Prêmio da China, nesta sexta-feira.

Ron Dennis foi o mentor de Hamilton desde que o piloto tinha 13 anos, transformando-o de uma promessa do kart no mais jovem campeão mundial da Fórmula 1. Hamilton, entretanto, tem claramente andado desconcertado desde o incidente em Melbourne, e especula-se que sua relação com o ex-chefe da equipe passa por dificuldades.

"Ron foi uma grande força no apoio à minha vida e ainda tem um papel decisivo na minha vida, estando ou não na equipe", afirmou o piloto, de 24 anos. "Vocês vem escrevendo sobre isso há anos, que conforme ele chegasse a um certo estágio, ele sairia (da Fórmula 1). Acho que ele decidiu que essa hora é agora."

Hamilton tem encontrado dificuldades na pista nesta temporada, mas liderou a primeira sessão de treinos para o Grande Prêmio da China nesta sexta-feira, antes de cair para o 13o posto após o segundo treino do dia.

O campeão mundial rejeitou a ideia de que a saída de Dennis pode ser um recomeço para a equipe. "Não acho que recomeçamos ou algo assim. Ainda estamos trabalhando no carro, tentando melhorá-lo", disse.

"Hoje foi um pequeno passo adiante, mas ainda temos muito a fazer. Está igual como sempre foi. Os rapazes estão animados e determinados em nos colocar de volta no topo", disse Hamilton.

A equipe pode sofrer punições severas em uma audiência do Conselho Mundial de Automobilismo no final deste mês, e há quem sugira que a saída de Ron Dennis melhore a relação da McLaren com as autoridades do esporte. "Isso não tem nada a ver comigo. Meu trabalho é se concentrar em correr", concluiu Hamilton.

 
<p>Piloto da McLaren brit&acirc;nico Lewis Hamilton no Grande Pr&ecirc;mio da China, em Xangai. 17/04/2009. REUTERS/ Jason Lee</p>