Platini defende interrupção de jogos em caso de cantos racistas

terça-feira, 21 de abril de 2009 12:03 BRT
 

Por Paul Virgo

ROMA (Reuters) - A Uefa quer que partidas sejam paralisadas se os torcedores começarem a entoar gritos racistas, afirmou nesta terça-feira o presidente da entidade que comanda o futebol europeu, Michel Platini.

A Juventus recebeu na segunda-feira a punição de jogar seu próximo jogo em casa pelo Campeonato Italiano com portões fechados, depois de sua torcida ter abusado racialmente o atacante Mario Balotelli, da Inter de Milão, durante o empate por 1 a 1, no sábado, pela competição nacional.

"Pediremos que o jogo seja interrompido por dez minutos quando essas coisas acontecerem, e anúncios serão feitos no estádio", disse Platini em uma coletiva de imprensa em Roma. "Se eles continuarem, a partida será interrompida. Coragem é necessária quando há racismo nas arquibancadas. Essa é a missão da Uefa."

O racismo não é incomum no futebol italiano, e pequenas multas são geralmente aplicadas aos clubes. Entretanto, a seriedade dos incidentes de sábado fizeram as autoridades agirem pesado contra a Juve.

"É um momento difícil para a Federação Italiana de Futebol. Isso levou sua responsabilidade", afirmou Platini, ex-jogador da Juventus.

O presidente da federação italiana, Giancarlo Abete, que tenta levar a Eurocopa de 2016 para o país, disse a repórteres que as regras serão mudadas para permitir que os jogos sejam interrompidos em caso de racismo.

"O sistema italiano já dá às autoridades o poder de suspender a partida em caso de faixas que incitem a discriminação racial", afirmou. "Vamos reforçar isso, naturalmente enquanto ficamos atentos em encontrar um equilíbrio para as demandas de segurança do público."

JUVE APELARÁ   Continuação...

 
<p>Presidente da Uefa, Michel Platini, durante coletiva de imprensa no dia 16 de abril, defendeu nesta ter&ccedil;a-feira a interrup&ccedil;&atilde;o de jogos em caso de cantos racistas. REUTERS/Peter Andrews</p>