Ministério intervém por São Paulo e jogo no México é descartado

sexta-feira, 8 de maio de 2009 16:56 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério do Esporte informou nesta sexta-feira que o presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Nicolás Leoz, garantiu que o jogo entre São Paulo e Chivas não será realizado em território mexicano, depois de o clube paulista se manifestar contra a partida no país que é o centro do surto da gripe H1N1.

Segundo o ministério, a previsão é de que o jogo, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores, aconteça no Uruguai.

O ministro Orlando Silva conversou com Leoz por telefone, a pedido do São Paulo, e "expressou a preocupação do governo federal em garantir o cumprimento das recomendações das autoridades sanitárias de evitar viagens a países com casos confirmados de gripe suína".

A equipe paulista enviou um ofício à Conmebol afirmando "repudiar veementemente qualquer possibilidade de que seja designada a realização da partida na cidade mexicana de Guadalajara ou em qualquer outro ponto do território mexicano".

Na quinta-feira, a entidade sul-americana disse que os jogos poderiam ser disputados no México se os clubes São Paulo e Nacional, do Uruguai, concordassem. O Nacional enfrenta o San Luis pela mesma fase da Libertadores e também anunciou que não aceita jogar no país.

O México é o principal foco da nova gripe e até agora foram registradas 45 mortes no país.

"O risco a que se expõem os atletas do São Paulo Futebol Clube e a sua comissão técnica não configura mera suposição", afirmou o clube campeão brasileiro na carta. O clube alegou ainda que a delegação do time estaria sujeita, caso jogasse no México, a medidas exigidas pelas autoridades brasileiras no retorno da viagem, o que poderia prejudicar sua preparação para jogos no Brasil.

O São Paulo informou que apesar de estar seguro da responsabilidade com que as autoridades mexicanas estão tratando o assunto, a recomendação é que se evite a exposição ao "contato natural com as milhares de pessoas que estariam envolvidas no evento esportivo". Por isso, pediu que a partida aconteça em outro local das Américas, que não seja o território mexicano ou qualquer ponto da América do Norte.

A equipe manifestou ainda solidariedade ao povo mexicano e pediu urgência na decisão.

(Reportagem de Tatiana Ramil)