Briatore diz que equipes não pretendem romper com a FIA

quinta-feira, 14 de maio de 2009 09:34 BRT
 

MILÃO (Reuters) - As equipes da Fórmula 1 desejam permanecer como parte da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), apesar das várias ameaças de abandonarem a temporada de 2010, disse o diretor da Renault, Flavio Briatore, em entrevista publicada na quinta-feira.

A exemplo da Ferrari, da Toyota e da Red Bull, a Renault ameaçou não participar do próximo campeonato se a FIA não desistir de limitar o orçamento das equipes. Apesar disso, Briatore disse que é cedo para falar em uma categoria rival.

O assunto deve ser discutido na sexta-feira numa reunião em Londres envolvendo diretores de equipes, o presidente da FIA, Max Mosley, e o chefe comercial da F1, Bernie Ecclestone.

"Devo deixar claro que nós, a Ferrari e as outras não temos intenção de romper com a FIA. Queremos estar lá, participar, preservar o futuro", disse Briatore ao jornal Gazzetta dello Sport.

"Estamos propondo condições lógicas para Mosley. Quero deixar claro que as equipes são a Fórmula 1, a federação internacional deveria ser apenas o árbitro. Deveríamos escrever as regras, não tê-las impostas por Max sem falar com ninguém."

Pelas regras para 2010, equipes que aceitarem o limite de orçamento teriam bem mais liberdade técnica do que as demais.

Briatore disse que a criação de uma categoria concorrente "é uma hipótese remota que todos querem evitar". "Estamos vivendo num momento difícil, e todos devem encontrar uma solução a todo custo", acrescentou.

Em entrevista ao jornal britânico Guardian, Ecclestone disse que a Ferrari será essencial para o futuro da categoria. "Eles estão lá há 60 anos", afirmou. "São nossos parceiros. São as pessoas que precisamos levar em consideração", afirmou.

Piero Ferrari, filho do fundador da equipe italiana, Enzo Ferrari, ridicularizou o plano de Mosley.   Continuação...

 
<p>Diretor da Renault de F&oacute;rmula 1, Flavio Briatore, em Montmelo. 09/05/2009. REUTERS/Albert Gea</p>