Maradona questiona suspensão da Fifa a Di María

quarta-feira, 20 de maio de 2009 10:49 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O técnico argentino Diego Maradona questionou a decisão do tribunal disciplinar da Fifa de suspender por quatro partidas o meio-campista Angel Di María, expulso na histórica goleada de 6 x 1 sofrida pelos argentinos contra a Bolívia.

Di María, expulso pelo árbitro uruguaio Martín Vázquez por após cometer falta violenta num rival boliviano, não poderá jogar pela seleção nas partidas das eliminatórias da Copa do Mundo de 2010 contra Colômbia, Equador, Brasil e Paraguai.

"Quem Di María matou?", reclamou Maradona na terça-feira, quando perguntado sobre a punição ao jogador do Benfica.

No jogo das eliminatórias em La Paz contra a Bolívia, Di María -- medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim em 2008 -- entrou em campo aos 11 minutos do segundo tempo e foi expulso 7 minutos depois.

Di María poderá voltar à seleção diante de Peru e Uruguai, nas duas últimas rodadas da eliminatórias sul-americanas.

Maradona fez referência à fratura na perna sofrida pelo brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva, do Arsenal, em 2008, após um carrinho do inglês Martin Taylor, do Birmingham City.

"Alguns carrinhos no futebol inglês são para dar cadeia... há um jogador que quebrou um brasileiro (Eduardo da Silva) e lhe deram três jogos de suspensão", disse Maradona em uma coletiva de imprensa.

Para o técnico, a ausência de Di María "é uma baixa terrível porque isto nos complica muito pela esquerda".

"Com o 'Fideo' (apelido de Di María), teríamos a parte esquerda quase coberta. Não sei se poderemos recorrer (da suspensão), mas praticamente ficou tudo aberto", explicou o técnico.

A Argentina, quarta colocada nas eliminatórias, enfrentará a Colômbia, em Buenos Aires, no dia 6 de junho e no dia 10 do mesmo mês visitará o Equador, em Quito.

(Reportagem de Luis Ampuero)

 
<p>Foto de arquivo do t&eacute;cnico argentino Diego Maradona em jogo contra a Bol&iacute;via, em La Paz. 01/05/2009. REUTERS/Gaston Brito</p>