Bravura e empenho deram título ao Barça, diz treinador

quarta-feira, 27 de maio de 2009 20:44 BRT
 

Por Iain Rogers

ROMA (Reuters) - O triunfo do Barcelona sobre o Manchester United na final da Liga dos Campeões, na quarta-feira em Roma, deveu-se à bravura e ao empenho dos jogadores, segundo o técnico Pep Guardiola.

"Se você pega a bola, ataca e é ousado, tem mais chances de vencer", disse o treinador, de 38 anos, em entrevista coletiva.

"Não fomos covardes, nunca no jogo. Não há outro jeito. Não há nada mais perigoso do que não assumir riscos", acrescentou. "Trabalhamos muitíssimas horas ao longo da temporada, e sei que muita gente está felicíssima, e essa é a nossa retribuição."

Guardiola, que em seu primeiro ano no cargo já venceu o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei e a Liga dos Campeões da Europa, foi especialmente pródigo ao falar de Lionel Messi, autor do segundo gol na vitória de 2 x 0 sobre os ingleses.

Disse que uma das razões para o domínio do Barça em longos períodos da partida foi sua decisão de recuar o argentino para o meio de campo.

"Messi voltou para o meio porque queríamos ser superiores na posse (de bola)", afirmou Guardiola. "Sem a bola somos um time desastroso, um time horrível, por isso precisamos da bola. Não somos o melhor time da história, mas jogamos a melhor temporada da história para vencer os três títulos."

Guardiola, que atuou na Itália ao final da sua carreira como jogador, dedicou o título de quarta-feira ao amigo Paolo Maldini, zagueiro do Milan, que está pendurando as chuteiras após 24 anos como atleta profissional.

O último jogo de Maldini no estádio San Siro, no domingo, foi marcado por uma faixa estendida por torcedores com críticas ao jogador.

"Acho que 20 ou 30 pessoas não podem estragar seu último jogo de futebol (em casa)", disse Guardiola. "Estou muito feliz por termos ganhado este troféu e muito feliz por dedicá-lo ao jogador que foi de longe o mais forte dos últimos 20 anos."

 
<p>T&eacute;cnico do Barcelona, Pep Guardiola, durante a Liga dos Campe&otilde;es em Roma. 27/05/2009. REUTERS/Darren Staples</p>