Leonardo quer usar ciência para criar obra-prima no Milan

segunda-feira, 1 de junho de 2009 11:36 BRT
 

Por Mark Meadows

MILÃO (Reuters) - Igual a Da Vinci, seu xará renascentista, o novo treinador do Milan pretende usar os últimos avanços da ciência para criar uma obra-prima do futebol.

Leonardo, o estreante técnico brasileiro que assinou contrato de dois anos para substituir Carlo Ancelotti no time italiano, quer proporcionar um futebol atrativo a partir da análise detalhada dos dados físicos e de performance de cada jogador.

Ainda que essas técnicas já tenham sido usadas por algumas equipes de Inglaterra, Espanha e Alemanha, os times da Série A italiana têm avançado pouco na área e Leonardo planeja uma pequena revolução.

Mais parecido a um gerente de futebol que a um típico técnico, o ex-jogador do Milan, de 39 anos, também vai manter a maior parte de suas antigas tarefas como diretor técnico.

"Eu tenho a ideia de ter dois assistentes que vão usar dados técnicos e informações científicas", disse Leonardo, campeão da Copa do Mundo de 1994 como jogador, em entrevista coletiva nesta segunda-feira no San Siro.

"As pessoas vão me ver mais com terno e gravata, isso é verdade."

Ancelotti, que liderou o Milan nas conquistas da Liga dos Campeões em 2003 e 2007, saiu após duas temporadas mal-sucedidas e foi anunciado como novo comandante do Chelsea.

Leonardo disse que sua abordagem não será muito diferente, com o bom futebol como primeiro objetivo.   Continuação...

 
<p>Leonardo, o estreante t&eacute;cnico brasileiro que assinou contrato de dois anos para substituir Carlo Ancelotti no Milan. 01/06/2009. REUTERS/Paolo Bona</p>