Vender Kaká faz sentido economicamente, diz Milan

quinta-feira, 4 de junho de 2009 09:53 BRT
 

MILÃO (Reuters) - Vender Kaká pode fazer sentido economicamente para o Milan, mas nenhum outro jogador de ponta terá permissão para deixar o time, disse o chefe-executivo da equipe italiana, Adriano Galliani.

Galliani foi à Espanha no início desta semana para se encontrar com o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, que voltou ao clube, e notícias da mídia disseram que o dirigente por trás dos Galácticos fez uma grande oferta por Kaká.

Ninguém no Milan confirma oficialmente que o brasileiro vai embora, mas Galliani disse nesta quinta-feira ao jornal esportivo Gazzetta dello Sport que o clube teve poucas opções.

"As razões para a partida de Kaká são unicamente econômicas", disse. "Até mesmo um grande coração precisa confrontar a situação e fazer escolhas. O Milan não pode perder 70 milhões de euros (99 milhões de dólares) por ano."

O dono do Milan, Silvio Berlusconi, ainda não aprovou qualquer mudança e decidiu que vai conversar com Kaká na segunda-feira antes de tomar uma decisão.

O Chelsea, comandado pelo ex-técnico do Milan, Carlo Ancelotti, negou na quarta-feira que tenha feito uma oferta ao jogador de 27 anos.

A imprensa também especula que o time inglês esteja interessado nos jogadores do Milan Alexandre Pato e Andrea Pirlo, mas Galliani garantiu que eles não vão sair.

"Nós não estamos nos desintegrando. Os outros grandes jogadores não estão à venda. Agora um grande atacante vai chegar", disse.

O Milan está há muito tempo interessado no atacante do Arsenal Emmanuel Adebayor.   Continuação...

 
<p>Brasileiro Kak&aacute; em treinamento. 03/06/2009. REUTERS/Sergio Moraes</p>