7 de Junho de 2009 / às 17:32 / 8 anos atrás

Button comemora sexta vitória e abre 26 pontos de Barrichello

<p>Piloto Jenson Button, da Brawn GP, comemora conquista do GP da Turquia de F&oacute;rmula 1, abrindo 26 pontos de diferen&ccedil;a para o segundo colocado, Rubesn Barrichello, na corrida de pilotos.Salih Zeki Fazlioglu/Anatolia</p>

Por Alan Baldwin

ISTAMBUL (Reuters) - Jenson Button levou o troféu do Grande Prêmio da Turquia neste domingo e chegou a 26 pontos à frente do segundo colocado no campeonato de Fórmula 1, o brasileiro Rubens Barrichello, com sua brilhante sexta vitória em sete corridas.

O australiano Mark Webber terminou em segundo com sua Red Bull, recebendo a bandeirada 6,7 segundos atrás do britânico e igualando seu melhor pódio até o momento. O alemão Sebastian Vettel, companheiro de equipe de Webber, chegou em terceiro após largar na pole position.

Button ampliou sua vantagem sobre o companheiro de equipe Barrichello, que não completou a corrida depois que um problema técnico o fez perder muitas posições, faltando dez corridas.

O britânico soma 61 pontos, Barrichello tem 35 e Vettel está com 29.

"Vocês me deram um tremendo carro, vocês são uma lenda viva", gritou Button pelo rádio da equipe, com voz trêmula de emoção, depois de cruzar a linha de chegada.

A sexta vitória da carreira de Button, e a quarta consecutiva, fez dele o primeiro piloto a vencer na Turquia sem largar na pole desde que a prova foi criada em 2005.

O êxito também encerrou a série de três vitórias consecutivas do brasileiro Felipe Massa na pista.

"Hoje o carro foi o melhor do ano. Foi grandioso", acrescentou Button. "Eu queria ter toda a equipe comigo no pódio."

ERRO DE VETTEL

Vettel, que fez três paradas em comparação às duas de Webber mas não teve sucesso na estratégia, cometeu um erro ao atacar muito a zebra na curva nove e abrir demais na curva seguinte, permitindo a passagem de Button.

Vettel disse ter sido vencido com categoria: "Jenson estava rápido demais hoje, não acho que teria segurado ele mesmo", disse ele.

No que parece se configurar como a temporada mais dominada por um piloto desde que o campeonato começou em 1950, o piloto de 29 anos também se tornou o primeiro britânico a vencer quatro provas consecutivas em um único ano desde Nigel Mansell em 1992.

Somente cinco outros pilotos britânicos, todos eles campeões, venceram seis vezes em uma temporada, e essa cifra não inclui o atual campeão Lewis Hamilton.

O piloto de 24 anos da McLaren, lutando com um carro pouco competitivo, terminou em 13o, sem pontuar pela terceira corrida seguida.

O italiano Jarno Trulli foi o quarto com sua Toyota, um retorno impressionante após o resultado medíocre de Mônaco, e o alemão Nico Rosberg deu a quinta colocação à Williams.

Massa foi o sexto e o polonês Robert Kubica, que brigou pelo título na temporada passada, marcou seus primeiros pontos do ano com a BMW-Sauber cruzando em sétimo.

O alemão Timo Glock levou o ponto final para a Toyota.

A corrida teve poucos incidentes, e só Barrichello e o italiano Giancarlo Fisichella, da Force India, não completaram a prova.

A maior decepção foi o baixo comparecimento, já que havia mais assentos vazios do que fãs assistindo o evento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below