Blatter diz a céticos que acreditem na Copa do Mundo da África

sexta-feira, 12 de junho de 2009 15:30 BRT
 

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, rebateu os céticos na Europa que duvidam da capacidade da África do Sul de realizar uma Copa do Mundo com sucesso no ano que vem, afirmando que é hora de acabar com as críticas.

Durante entrevista coletiva dois dias antes do início da Copa das Confederações, torneio com oito seleções um ano antes do Mundial, Blatter respondeu com rigor aos que criticaram a Fifa por ter decidido em 2004 dar o Mundial de 2010 à África do Sul -- o primeiro a ser realizado no continente africano.

"Não é o povo da Europa, mas parte da mídia, que desde o começo não confiou na África do Sul, ou na África como um todo, para organizar a Copa do Mundo", disse o dirigente suíço, de 63 anos, nesta sexta-feira.

"Não compreendo esta relutância em ir à África. Estamos aqui, não apenas para homenagear a África, mas para fazer justiça com a África e o futebol africano por tudo o que eles fizeram pelo futebol", acrescentou.

"Desde que abri o envelope com o nome 'África do Sul' eles disseram que não ia dar certo. Por que? A cada ano 10 ou 11 milhões de turistas vêm para a África do Sul. Eles organizaram competições internacionais e conferências. Por que sempre há esse questionamento com o futebol?"

"Não há um pouco de inveja? Bom, deixe eles começarem a acreditar", afirmou.

O maior temor com relação à Copa do ano que vem, e em uma escala um pouco menor na Copa das Confederações das próximas duas semanas, são as questões de segurança, em especial o alto índice de assassinatos na África do Sul.

Blatter disse que o novo presidente sul-africano, Jacob Zuma, telefonou para ele no dia que assumiu o governo, no mês passado, para assegurar que ele pessoalmente e seu governo vão cuidar da segurança e de outras questões.