21 de Junho de 2009 / às 19:26 / em 8 anos

Sem o campeão Nadal, Federer abrirá o torneio de Wimbledon

Por Pritha Sarkar

LONDRES (Reuters) - Roger Federer pode se sentir um impostor quando der início ao torneio de Wimbledon na quadra central na segunda-feira.

O suíço de 27 anos recebeu a honra geralmente concedida ao defensor do título depois que seu rival Rafael Nadal se retirou do evento na grama por causa de uma lesão no joelho.

O acontecimento deixou as autoridades em dúvida sobre quem deveria substituir o espanhol.

"Eu não deveria ter o privilégio este ano porque Rafa o merece, mas obviamente estou muito honrado que tenham me escolhido novamente para abrir o torneio," disse à Reuters Federer, cujo reinado de cinco anos em Wimbledon foi encerrado por Nadal em uma final espetacular de cinco sets no ano passado.

Recém coroado campeão em Roland Garros, o que o tornou o sexto homem a completar um grand slam, Federer vai buscar o recorde de 15 títulos de grand slam disputando a primeira partida contra o único asiático da chave, Lu Yen-hsun, de Taiwan.

Os torcedores britânicos, que já antecipam uma final entre Federer e Andy Murray no dia 5 de julho, vão ter que esperar até terça-feira para assistir ao terceiro cabeça-de-chave.

Enquanto isso, podem exercitar as cordas vocais torcendo para a estreante de 15 anos Laura Robson, que conseguiu uma vaga graças à sua atuação na disputa junior um ano atrás.

Ela e sua adversária Daniela Hantuchova receberam a honra de disputar a primeira partida na novíssima quadra dois de 4 mil assentos.

EXERCÍCIO RÁPIDO

Caso Robson precise de algumas dicas sobre como lidar com a pressão em uma idade tão tenra, pode pedi-las a Serena Williams, que está nas manchetes desde a adolescência.

Campeã dos abertos dos EUA e da Austrália, Williams, que levou três dos últimos quatro grand slams, deve fazer um rápido exercício contra a portuguesa Neuza Silva.

A única ameaça real no caminho de Serena é Maria Sharapova, que estréia como 24a cabeça-de-chave apesar de ser a 60a no ranking após uma ausência de nove meses causada por contusões.

A russa mostrou que seu ombro, mesmo com curativos, agüenta a pressão ao sobreviver a quatro disputas de três sets para chegar nas quartas-de-final em Paris, cujo piso de saibro é o que menos lhe convém.

Ela parece ansiosa para se sair bem nos gramados londrinos, onde conquistou o primeiro de seus três títulos de grand slam em 2004, e inicia sua jornada contra a ucraniana Viktoriya Kutuzova.

"Quando penso em onde estava 10 ou 11 meses atrás, ou mesmo três meses atrás, acho que estar aqui já é em si uma conquista," disse a tenista de 22 anos aos repórteres.

Como Sharapova, o sérvio Novak Djokovic também perdeu na segunda rodada em Wimbledon um ano atrás e busca uma melhoria considerável este ano após seu vice-campeonato em Halle.

O quarto cabeça-de-chave estréia contra o francês Julien Benneteau.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below