Fina não valida recorde de Bernard nos 100m livre

segunda-feira, 22 de junho de 2009 15:09 BRT
 

PARIS (Reuters) - O recorde mundial dos 100 metros livre estabelecido pelo francês Alain Bernard em abril não será homologado, enquanto a marca alcançada pelo brasileiro Felipe França Silva nos 50m peito depende apenas do exame antidoping para ser confirmada como a melhor do mundo na prova, informou a Federação Internacional de Natação (Fina) nesta segunda-feira.

Bernard se tornou o primeiro homem do mundo a romper a barreira dos 47 segundos ao vencer o campeonato francês com o tempo de 46s94, mas o campeão olímpico usou na prova um maiô produzido pela Arena que não foi autorizado pela Fina.

O recorde mundial continua pertencendo ao australiano Eamon Sullivan, com 47s05.

"Essa decisão terá consequências sérias para a natação e nós nadadores", disse Bernard em comunicado. "As posições da Fina são contraditórias e impossíveis de entender."

A Federação Francesa de Natação informou que vai recorrer.

"É lamentável. Esse não é o fim da história. Agora nós devemos defender os interesses do nosso atleta", disse à Reuters o diretor técnico da federação, Christian Donze.

O recorde mundial de Felipe França nos 50m peito de 26s89, alcançado em maio no Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro, depende apenas da confirmações dos resultados dos exames antidoping, assim como a marca do francês Frederick Bousquet nos 50m livre, informou a Fina em seu site na Internet.

Ambos também usavam novos modelos de maiôs que, no entanto, foram aprovados pela entidade nesta segunda-feira.

Preocupada com os mais de 100 recordes mundiais batidos nos últimos 18 meses, a maioria com maiôs tecnológicos, a Fina decidiu examinar todos os modelos antes do campeonato mundial de Roma, no próximo mês.

(Por Chrystel Boulet-Euchin)