Isolar Xavi foi essencial para a vitória, diz técnico dos EUA

quinta-feira, 25 de junho de 2009 10:27 BRT
 

BLOEMFONTEIN, África do Sul (Reuters) - O técnico da seleção dos Estados Unidos, Bob Bradley, acredita que a neutralização do meio-campista espanhol Xavi foi fator essencial na inesperada vitória de sua equipe por 2 x 0 sobre os atuais campeões europeus na Copa das Confederações.

O jogador do Barcelona teve pouco espaço durante a partida e sempre foi marcado de perto pelos norte-americanos, que conquistaram sua primeira grande vitória.

"Tivemos um cuidado especial em isolar o Xavi, tentando obrigá-lo a jogar a bola de frente ou de trás, para que não pudesse fazer nenhum desses passes de penetração nos quais é tão bom", disse Bradley a jornalistas.

"Fizemos um trabalho muito bom cortando o ritmo do meio-campo. Quando você joga contra a Espanha, tem que trabalhar duro como grupo para se defender, e quando tivemos a bola tivemos que ser agressivos", acrescentou.

O treinador elogiou especialmente os defensores Jay DeMerit e Oguchi Onyewu, que seguraram a pressão ofensiva espanhola na segunda etapa da partida.

"Sofrer seis gols nas primeiras duas partidas e não tomar nenhum nas duas seguintes é um esforço tremendo de todos na equipe," disse Onyewu.

Um dos nomes do jogo com defesas cruciais, o goleiro norte-americano Tim Howard comentou após a partida: "Essa vitória mostra o que o trabalho duro e o compromisso interno trazem."

"Todas as vezes que se consegue uma vitória inesperada, é necessário aproveitar as chances de marcar gols e defendemos muito bem. Hoje fomos guiados pela nossa sorte."

Os gols marcados por Jozy Altidore e Clint Dempsey eliminaram da disputa do título a atual líder do ranking da Fifa. Além disso, puseram fim a um recorde de 15 vitórias seguidas e de 35 partidas sem derrota, marca que a Espanha divide com o Brasil.

Os EUA aguardam agora para saber quem enfrentarão no domingo, na final da Copa das Confederações, se o Brasil ou a África do Sul, anfitriã do torneio. As duas equipes decidem a última vaga nesta quinta-feira.

(Reportagem de Mark Gleeson)

 
<p>T&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o dos Estados Unidos, Bob Bradley, em Bloemfontein. 24/06/2009. REUTERS/Dylan Martinez</p>