27 de Junho de 2009 / às 16:45 / em 8 anos

Ronaldinho ainda tem seu papel na Seleção Brasileira, diz Dunga

<p>Jogador brasileiro Ronaldinho em Udine. 16/05/2009.Daniel Raunig</p>

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - Ronaldinho, ex-campeão do mundo e jogador europeu do ano que foi deixado de fora da Seleção Brasileira na Copa das Confederações, ainda tem um papel a ser desempenhado na equipe, afirmou o técnico Dunga neste sábado.

Dunga não convocou o jogador para os dois últimos jogos do Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo e para o torneio na África do Sul. Mas ele disse em coletiva de imprensa antes da final deste domingo contra os Estados Unidos que Ronaldinho poderá voltar ao time.

"Eu gostaria de ver ele de volta," disse Dunga. "Mas se ele voltará eu não sei."

"Acho que você tem que perguntar isso a ele diretamente. Ele obviamente tem a responsabilidade em seus ombros, depende mais dele do que de mim, mas eu gostaria de tê-lo de volta."

Antes do início do torneio, Dunga afirmou que gostaria de ver Ronaldinho retornando à boa forma antes de voltar a convocá-lo.

Ronaldinho não conseguiu se estabelecer no Milan desde que saiu do Barcelona no ano passado e tem ficado no banco.

Ele foi substituído no empate do Brasil contra o Equador em 1 x 1, pelas Eliminatórias, em março passado, depois de uma de suas piores exibições pela Seleção, e ficou no banco de reservas no jogo seguinte, em casa, contra o Peru, entrando na partida quando o Brasil já vencia por 3 x 0.

No entanto, o Brasil não tem sentido muita falta dele na África do Sul nas últimas duas semanas, apesar de seu impressionante histórico na Seleção - 32 gols em 87 jogos.

O Brasil marcou 10 gols nas três partidas da fase inicial contra Egito (4 x 3), Estados Unidos (3 x 0) e Itália (3 x 0) e, apesar de ter vencido a África do Sul por apenas 1 x 0 na semifinal de quinta-feira, o time criou 23 oportunidades de gol na partida, de acordo com as estatísticas oficiais da Fifa.

Dunga também rejeitou a observação feita por Franz Beckenbauer na sexta-feira, de que o ataque brasileiro com Robinho, Luis Fabiano e Kaká não era forte o suficiente para conquistar a Copa do Mundo do ano que vem.

"Todos têm opinião," disse Dunga. "Então vamos apenas olhar o número de gols que marcamos aqui."

"Tivemos o melhor ataque da fase de grupos e marcamos 10 gols e não há como argumentar contra números e fatos."

O Brasil enfrenta os Estados Unidos na final no estádio de Ellis Park no domingo, enquanto a Espanha jogará contra a África do Sul pela disputa do terceiro lugar em Rustenburgo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below