Parreira junta-se a Luxemburgo e Muricy entre técnicos demitidos

segunda-feira, 13 de julho de 2009 20:16 BRT
 

RIO (Reuters) - A crise de resultados afetou o mercado de treinadores do Brasil, que tem na lista de desempregados técnicos renomados como Carlos Alberto Parreira, Vanderlei Luxemburgo e Muricy Ramalho.

O tetracampeão Parreira é a mais nova vítima do efeito dominó que atingiu os "medalhões" do futebol nacional. Nem o currículo "cheio", com títulos nacionais por Fluminense e Corinthians, e passagens pela seleção brasileira que incluíram os troféus da Copa das Confederações (2005) e a Copa do Mundo de 1994 seguraram o treinador no Fluminense.

O prestígio do técnico foi prejudicado pela campanha do time no Campeonato Brasileiro. O clube carioca tem 10 pontos e figura na zona de rebaixamento.

"Futebol é resultado. Sempre foi assim", sentenciou Parreira antes da demissão nesta segunda-feira.

Antes de assumir o Fluminense, Parreira comandou a seleção da África do Sul e do Brasil. O treinador voltou este ano ao Fluminense, clube onde conquistou o título brasileiro em 1984. Parreira também tirou o time da terceira divisão do futebol nacional.

Parreira se juntou a outros "pesos pesados" do futebol nacional demitidos recentemente, como Luxemburgo e Muricy.

Luxemburgo, com passagens pela seleção brasileira e pelo Real Madrid, foi dispensado durante o Brasileiro e após a eliminação do Palmeiras na Copa Libertadores. O time paulista já pensa em apostar em soluções caseiras e mais baratas para comandar a equipe.

Nem o tricampeonato brasileiro conquistado em 2006-2007-2008 foi suficiente para o São Paulo manter Muricy. O treinador deixou o tricolor paulista depois da eliminação diante do Cruzeiro nas quartas-de-final da Libertadores.

A demissão de técnicos renomados criou uma onda de especulações. Os nomes deles sempre surgem como opções para demissões no futebol brasileiro e até internacional.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

 
<p>Carlos Alberto Parreira, em foto de arquivo, foi demitido do Fluminense nesta segunda-feira. REUTERS/Finbarr O'Reilly</p>