Africanos são minoria entre compradores de ingressos para a Copa

quinta-feira, 30 de julho de 2009 19:00 BRT
 

Por Wendell Roelf

CIDADE DO CABO (Reuters) - Torcedores da Europa e das Américas compraram até agora a maior parte dos ingressos para a Copa do Mundo de 2010, e a África está bem atrás, apesar do caráter continental do evento, disse na quinta-feira o chefe do comitê organizador sul-africano.

Só cinco países africanos, inclusive a África do Sul, estarão entre as 32 equipes qualificadas. Como as vagas ainda não estão definidas, o executivo-chefe do comitê organizador, Danny Jordaan, acha que muitos africanos só vão comprar ingressos depois que seus países confirmarem presença.

"Vendemos pouco mais de 800 mil (de um total de 3,2 milhões de ingressos possíveis), dos quais cerca de 240 mil foram vendidos dentro da África do Sul", disse Jordaan a jornalistas na Cidade do Cabo, onde em 4 de dezembro acontecerá o sorteio das chaves.

"Pouquíssimos desses ingressos estão no continente africano, o maior número está em Gana, mas a maioria dos ingressos foi para a Europa e os Estados Unidos", afirmou.

Um fator complicador é que, no mais pobre dos continentes, os torcedores terão de pagar caro por um transporte de má qualidade até a África do Sul. Em muitos casos, será preciso fazer conexão aérea na Europa.

A Fifa demonstra preocupação com as vendas de ingressos, as acomodações e o transporte na África do Sul, apesar de em junho o país ter organizado com sucesso a Copa das Confederações, espécie de ensaio geral para a Copa do Mundo.

Jordaan previu um aumento de vendas quando mais países se classificarem. "Não tenho dúvidas de que iremos vender cada ingresso para a Copa do Mundo", disse ele.

O dirigente admitiu que a África do Sul ainda precisa preparar 15 mil quartos de hotel, de um total de 55 mil. Ele disse que uma reunião em agosto com o ministro do Turismo irá discutir essas questões, e especialmente formas de categorizá-los e como os pequenos hotéis e pensões poderiam oferecer quartos.

Jordaan disse que o sorteio das chaves ajudará a África do Sul a fazer o planejamento dos transportes. "Se você tem a Inglaterra jogando, por exemplo, ou se tem Trinidad Tobago ou Eslovênia... o número de torcedores acompanhando a equipe irá determinar as exigências de transporte."

(Reportagem de Wendell Roelf)