Finanças de clubes ingleses preocupam a Uefa

terça-feira, 4 de agosto de 2009 19:25 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Os clubes ingleses da primeira divisão podem se arruinar se tentarem competir em termos de gastos com o capital árabe do Manchester City, disse na terça-feira o secretário-geral da Uefa (confederação europeia de futebol), David Taylor.

O City já investiu fortunas na contratação de nomes como Carlos Tevez, Roque Santa Cruz e Emmanuel Adebayor, mas Taylor acha que esse clube, junto com o espanhol Real Madrid, está criando um precedente perigoso.

"Eu diria que, neste clima financeiro, é surpreendente, um pouco desestabilizador do mercado", disse Taylor à rádio BBC 5. "Isso está elevando a aposta inicial em termos de custos de jogadores, em termos do mercado em geral, o que não é uma coisa que nos dê muito conforto nestes tempos difíceis. Há certamente inquietação nos corredores de poder aqui (da Uefa)."

A decadência do Leeds United, rebaixado em 2004 sob uma montanha de dívidas, costuma ser usada como alerta para os clubes grandes, algo que Taylor repetiu.

"Há vários clubes ingleses em que o valor do clube em si decaiu significativamente e que na prática estão (à venda) no mercado (...). O Leeds United, por exemplo, caiu em sérias dificuldades financeiras por se sobrecarregar."

"Neste atual ambiente econômico, eu nunca diria nunca a algo assim. Claramente não vemos isso como iminente, mas a preocupação é que temos de estabelecer uma base financeira mais forte sobre a qual os clubes possam competir."

A Kop Holdings, empresa de propriedade dos norte-americanos Tom Hicks e George Gillett, e que controla o Liverpool, anunciou no ano passado um prejuízo de 42,6 milhões de libras (quase 70 milhões de dólares) por causa dos juros pagos pela dívida contraída na compra do clube.

Recentemente, a Kop Holdings renegociou a dívida do clube com o Royal Bank of Scotland. A quantia foi avaliada em 290 milhões de libras.

O norte-americano Malcolm Glazer, proprietário do Manchester United, também contraiu elevados empréstimos para assumir em 2005 o controle do time campeão inglês, o que gerou preocupação entre os torcedores.