Owen precisa provar seu talento novamente, diz Capello

domingo, 9 de agosto de 2009 13:11 BRT
 

Por Martyn Herman

LONDRES (Reuters) - Michael Owen precisa provar que ainda é capaz de jogar no nível mais alto do futebol se ainda quiser um lugar para a Copa do Mundo, declarou o técnico da Inglaterra, Fabio Capello, sobre o atacante do Manchester City.

Apesar da falta de artilheiros naturais da Inglaterra no Campeonato Inglês, Owen fez uma breve aparição sob o comando de Capello em uma partida contra a França em março de 2008.

O jogador de 29 anos, que já marcou 40 gols em 89 jogos pela seleção inglesa, foi novamente ignorado na convocação para o amistoso da próxima semana contra a Holanda.

"A porta está sempre aberta para os jogadores. Eu assisti ao jogo de Owen contra o Valencia em um amistoso na semana passada e ele jogou bem. Ele desperdiçou muitas chances de marcar gols, mas ainda estamos na pré-temporada", disse Capello aos repórteres.

"Ele tem de jogar bem e marcar gols, nada além disso. Ele tem de ser melhor que os jogadores que tive na temporada passada."

Capello afirmou ainda que a transferência de Owen para o campeão Manchester United deu a ele a chance de deixar para trás as várias contusões que sofreu, superar a falta de bons resultados durante o tempo que ficou no Newcastle United e irá ajudá-lo a reconstruir sua reputação.

"Acredito que sir Alex Ferguson conhece Owen muito bem", disse Capello. "Foi muito importante para o Manchester United que ele estivesse livre. Eles não gastaram dinheiro algum, só terão de pagar o salário dele. Acho que esta é uma chance fantástica para Owen novamente jogar em um time realmente importante na Liga dos Campeões."

"Esta é uma nova chance e isso é muito importante para o jogador. Ele tem de voltar a ser o jogador que era antes da última temporada."   Continuação...

 
<p>Michael Owen precisa provar que ainda &eacute; capaz de jogar no n&iacute;vel mais alto do futebol se ainda quiser um lugar para a Copa do Mundo, declarou o t&eacute;cnico da Inglaterra, Fabio Capello, sobre o atacante do Manchester City. REUTERS/Nigel Roddis</p>