Maradona pede mais tempo para "deixar marca" na seleção

segunda-feira, 10 de agosto de 2009 18:44 BRT
 

BERNA, Suíça (Reuters) - O treinador da seleção argentina, Diego Maradona, disse que ainda não teve tempo de deixar sua marca na equipe, que ele dirige desde outubro de 2008.

"É totalmente injusto que esperem ver o estilo Maradona quando tenho os rapazes por um par de dias antes de cada partida," disse o ex-craque em entrevista publicada na segunda-feira no site da Fifa (www.fifa.com).

"Cada um se vira com o que tem, faz e desfaz em três dias. Os jogadores chegam de uma viagem longa e precisam de um momento para relaxar e esticar as pernas, por isso não se pode trabalhar muito antes da partida," acrescentou Maradona, campeão mundial em 1986 no México.

Ele afirmou que fazer treinamentos em jornada dupla "arrebentaria" seus jogadores. "Vou incutindo neles o que eu quero, mas pouco a pouco. Mais do que técnico, sou um selecionador," disse Maradona.

Em sete partidas no cargo (três amistosos e quatro pelas Eliminatórias), Maradona soma cinco vitórias e duas derrotas (6 x 1 contra a Bolívia e 2 x 0 contra o Equador, ambas como visitantes na altitude).

A Argentina está em quarto lugar nas Eliminatórias sul-americanas, dois pontos à frente do Equador. Ainda faltam quatro jogos. Os próximos serão contra o Brasil, em casa, e contra o Paraguai, fora.

Os quatro primeiros colocados das Eliminatórias se classificam para o Mundial da África do Sul. O quinto colocado disputa uma repescagem contra um time da Concacaf.

Maradona disse que seu papel na seleção às vezes é burocrático. "A gente sempre está no telefone, tentando averiguar como estão os jogadores," disse ele. "Cada dia me reúno com minha equipe técnica para saber como Messi, Aguero, Maxi Rodríguez, como todo mundo está treinando. É mais logística do que realmente vê-los."

Na opinião dele, não há hipótese de a Argentina ficar de fora da Copa, algo que não ocorre desde 1970.

"Sei com certeza que o jogo diante do Brasil será essencial para a classificação. Se Deus quiser, terei todos juntos por 20 dias antes do Mundial, que é quando lançaremos as bases de trabalho para ter a oportunidade de sermos campeões do mundo," disse. "Um Mundial sem a Argentina não seria um Mundial, não teria cor."

 
<p>Maradona, em foto de arquivo, pede mais tempo para "deixar marca" na sele&ccedil;&atilde;o REUTERS/Marcos Brindicci</p>