Lesão impede volta de Schumacher à Fórmula 1

terça-feira, 11 de agosto de 2009 07:44 BRT
 

Por Karolos Grohmann

BERLIM (Reuters) - O heptacampeão mundial de Fórmula 1 Michael Schumacher anunciou nesta terça-feira a desistência dos planos de um retorno temporário às pistas pela equipe Ferrari devido a problemas físicos.

O piloto alemão de 40 anos substituiria Felipe Massa na escuderia italiana enquanto o brasileiro se recupera de um grave acidente, mas foi obrigado a desistir devido às dores no pescoço sentidas em decorrência de um acidente de moto que sofreu este ano. A Ferrari então escolheu o piloto de testes Luca Badoer para substituir Massa.

"Eu realmente tentei fazer tudo para tornar esse retorno temporário possível, no entanto, para minha tristeza, isso não funcionou", disse Schumacher em comunicado em seu site.

"Infelizmente, não conseguimos acabar com a dor no pescoço que senti depois do teste particular em Mugello, apesar de termos tentado de forma médica e terapêutica", acrescentou o piloto, referindo-se ao único teste que fez em um carro de F1 desde que aceitou substituir Massa.

Schumacher, que se aposentou em 2006, tinha sua reestreia prevista para o Grande Prêmio da Europa em 23 de agosto, enquanto Massa continua a recuperação após ter sofrido traumatismo craniano no treino classificatório para o GP da Hungria do mês passado. No entanto, o alemão reconheceu a derrota em sua batalha física para correr em Valencia.

"As consequências das contusões causadas pelo acidente de moto em fevereiro, as fraturas na área da cabeça e do pescoço, infelizmente se mostraram ainda muito severas", acrescentou Schumacher.

A Ferrari admitiu que a desistência de Schumacher era uma frustração, mas rapidamente apontou o experiente Badoer em seu lugar.

O italiano de 38 anos fez 49 corridas na F1 pelas equipes Scuderia Italia, Minardi e Forti, sem ter marcado nenhum ponto entre 1993 e 1999.   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo do heptacampe&atilde;o Michael Schumacher durante uma sess&atilde;o de treino em Catalunya. 11/03/2009. REUTERS/Albert Gea/Arquivo</p>