Já tivemos muitas revoluções, diz técnico italiano Lippi

terça-feira, 11 de agosto de 2009 12:02 BRT
 

ROMA (Reuters) - O técnico da Itália Marcello Lippi negou estar hesitante com a renovação da equipe, e vai promover a estreia de Claudio Marchisio e Domenico Criscito no amistoso de quarta-feira contra a Suíça.

Lippi tem sido pressionado a afastar membros da campanha vitoriosa italiana no Mundial de 2006 após a exibição decepcionante na Copa das Confederações, em junho, quando a Itália foi eliminada na primeira fase depois de perder para Egito e Brasil.

O coração da equipe do técnico de 61 anos ainda é formado por jogadores tetracampeões mundiais --oito deles estarão em campo durante a partida na Basiléia.

Dois outros, Daniele de Rossi e Gennaro Gattuso, vão ser poupados, e Luca Toni está fora de forma. Lippi argumenta que está trazendo novas caras o mais rápido possível, mas que a transição precisa ser gradual.

"Eles vão jogar desde o primeiro minuto", disse Lippi a repórteres nesta terça-feira, quando perguntado sobre o meio-campista Marchisio, da Juventus, e o zagueiro Criscito, do Genoa.

"Eu vi algumas pessoas pedindo por uma revolução, mas nós já tivemos muitas revoluções. Nós teremos jovens como Criscito, Marchisio, (Salvatore) Bocchetti, (Davide) Santon".

O capitão Fabio Cannavaro vai quebrar o recorde de 126 jogos pela seleção italiana, de Paolo Maldini, se jogar a partida de quarta-feira.

 
<p>Foto de arquivo do t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o italiana, Marcello Lippi, durante chegada a aeroporto em Roma. Nesta ter&ccedil;a-feira o treinador negou que esteja hesitante em renovar a sele&ccedil;&atilde;o italiana e anunciou que promover&aacute; as estreias de Claudio Marchisio e Domenico Criscito no amistoso de quarta-feira contra a Su&iacute;&ccedil;a. REUTERS/Giampiero Sposito</p>