Badoer se diz pronto para correr pela Ferrari

terça-feira, 11 de agosto de 2009 16:01 BRT
 

ROMA (Reuters) - O piloto italiano Luca Badoer disse nesta terça-feira que está pronto para o desafio de participar de uma corrida de Fórmula 1 pela Ferrari após a desistência de Michael Schumacher, que voltaria para substituir o brasileiro Felipe Massa após um acidente.

O alemão sete vezes campeão do mundo justificou a decisão por dores no pescoço, e deu uma chance de ouro ao experiente piloto de testes da equipe italiana.

"Eu me preparei para estar pronto em quaisquer circunstâncias, da mesma forma como vinha fazendo nos últimos anos", disse Badoer à página da escuderia na Internet (www.ferrari.com).

"Eu estive nesse meio por um bom tempo. Depois do acidente do Felipe (na Hungria, no mês passado), eu intensifiquei meu programa e tenho certeza de que não terei nenhum problema".

Badoer participou de 49 corridas por Scuderia Italia, Minardi e Forti, sem somar nenhum ponto, entre 1993 e 1999. Seu último Grande Prêmio foi no Japão, há quase uma década.

Entretanto, o piloto de 38 anos já teve a atual F60 nas mãos, algo que Schumacher não pôde fazer antes de desistir da participação no Grande Prêmio da Europa, em Valencia, no dia 23 de agosto. Nesta temporada, estão proibidos os testes entre as corridas.

O italiano contou que teve sensações variadas.

"Desde que eu era uma criança, eu sempre quis correr pela Ferrari, e agora eu tenho a chance de fazer esse desejo virar realidade", disse Badoer.

"Eu realmente sinto muito por Michael, porque eu sei o quanto ele queria voltar. Eu digo isso como amigo e como fã", afirmou.

"Eu sei que ele sempre estará disposto a me dar algum conselho", completou.

(Reportagem de Paul Virgo)

 
<p>Foto de arquivo do piloto de testes da Ferrari Luca Badoer durante sess&atilde;o de treinos em Barcelona. Badoer disse nesta ter&ccedil;a-feira estar preparado para correr um Grande Pr&ecirc;mio pela Ferrari ap&oacute;s o heptacampe&atilde;o Michael Schumacher desistir de voltar &agrave;s pistas. REUTERS/Albert Gea</p>