Siena, da Itália, combate doping com detector de mentiras

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 15:55 BRT
 

Por Paul Virgo

ROMA (Reuters) - O clube de futebol Siena, da Série A italiana, passou a usar um detector de mentiras em seu programa antidoping, levando para um novo nível o seu esforço para manter as drogas longe do futebol.

O time toscano usa um polígrafo desenvolvido pelo professor Giuseppe Sartori, da Universidade de Pádua, para garantir que os jogadores prestes a serem contratados não são usuários de drogas.

"Nós temos utilizado o polígrafo há algum tempo em jogadores que estão na fase de serem comprados pelo clube para ver se eles usam ou já usaram substâncias de dopagem," disse o psicólogo do time de Siena, Umberto Zerbini, à Reuters em uma entrevista por telefone.

"Até agora usamos o equipamento de forma reservada, mas acreditamos que seria correto divulgar isso agora e tornar disponível para outros times e seguradoras esportivas."

Zerbini disse que o clube recorreu a essa solução inovadora a fim de proteger a sua imagem, assim como a sua sorte dentro e fora do campo.

"Se um jogador é banido por uso de drogas, o clube sofre prejuízo econômico decorrente da perda de um investimento e prejuízo esportivo, porque a impossibilidade de substituí-lo pode afetar os resultados," afirmou ele.

A máquina é usada com um teste de 15 minutos durante o qual o jogador tem de responder a cerca de 70 questões.

Ela monitora a atividade cerebral no momento em que as respostas são dadas e determina quão verdadeiras elas são com base nos padrões apresentados.   Continuação...