Dono do Milan, Berlusconi defende teto salarial no futebol

terça-feira, 18 de agosto de 2009 15:06 BRT
 

ROMA (Reuters) - Os altos salários pagos aos jogadores de futebol nos dias de hoje são inaceitáveis no atual momento econômico e um teto salarial deveria ser introduzido, disse o primeiro-ministro da Itália e dono do Milan, Silvio Berlusconi.

"Os salários dos jogadores de futebol estão fora da realidade econômica que estamos vivendo em um momento difícil como esse. Eles estão fora de qualquer parâmetro."

Berlusconi disse acreditar que um teto salarial europeu seja viável após ter debatido a questão com o presidente da Uefa, Michel Platini.

"Acho que devemos fazer como eles fazem nos Estados Unidos e chegar a uma decisão para uma lei que determine um teto salarial para toda a Europa", disse ele. "Conversei com Platini e acho que vamos trabalhar nessa direção muito em breve."

Berlusconi, que também negou que tivesse intenção de vender parte do Milan, disse que não tinha como alvo direto os gastos astronômicos do Real Madrid, que convenceu o meia brasileiro Kaká a trocar o Milan pelo futebol espanhol, mas sim o "fenômeno" dos altos salários.

O vice-presidente da Federação Italiana de Futebol, o ex-jogador do Milan e da seleção Demetrio Albertini, concordou.

"Devemos parar de culpar os jogadoras toda hora. O problema é o sistema, não os jogadores", disse.

"Os jogadores ganham o que os presidentes de clubes oferecem a eles."

(Reportagem de Paul Virgo)