Sul-africanos ficam irritados por investigação sobre atleta

quinta-feira, 20 de agosto de 2009 10:59 BRT
 

Por Michael Georgy

JOHANESBURGO (Reuters) - O partido governista da África do Sul saiu nesta quinta-feira em defesa de uma compatriota, campeã mundial de atletismo, que está submetida a um exame de verificação de sexo, dizendo que ela é a "menina de ouro" do país e um modelo para jovens atletas.

Caster Semenya, cuja rápida evolução no ano passado instigou o teste, venceu a prova mundial dos 800 metros feminino em Berlim na quarta-feira com um desempenho avassalador.

O secretário-geral da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf), Pierre Weiss, disse que uma investigação sobre o sexo de Semenya estava em andamento tanto na África do Sul quanto em Berlim.

Ele disse que a Iaaf deu o benefício da dúvida à atleta de 18 anos e deixou que ela competisse, mas se a investigação provar que ela não é mulher, o resultado da corrida será desconsiderado.

"Nós condenamos os motivos daqueles que colocaram em questão seu sexo de acordo com seu físico e modo de correr. Tais comentários servem apenas para retratar a mulher como fraca", disse em um comunicado o Congresso Nacional Africano.

"Caster não é a única atleta com uma estrutura masculina e a Federação Internacional de Atletismo deveria saber isso melhor."

Semenya correu em 1min55seg45, tempo mais rápido do ano e sua melhor marca pessoal em mais de um segundo.

Um grupo de médicos, incluindo um endocrinologista, um ginecologista, um especialista em medicina interna, um especialista em gênero e um psicólogo, começou o exame de descoberta do sexo, mas os resultados podem demorar semanas.

 
<p>Atleta Caster Semenya da &Aacute;frica do Sul comemora ap&oacute;s vencer a prova dos 800 metros em Berlim. 19/08/2009. REUTERS/Michael Dalder</p>