Pelé vê Brasil melhor que Argentina para clássico de setembro

sexta-feira, 21 de agosto de 2009 16:29 BRT
 

RIO (Reuters) - Pelé acredita que a seleção brasileira está melhor preparada que a Argentina para a partida do mês que vem pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, mas lembrou que nunca é fácil enfrentar os rivais, especialmente na casa deles.

O Brasil, líder das eliminatórias, pega a Argentina, quarta colocada, no dia 5 de setembro, na cidade de Rosário, numa partida considerada "apimentada" pelo técnico Dunga.

"Sempre é um jogo de muita rivalidade e muito difícil, e esse não será diferente", disse Pelé nesta sexta-feira.

"O Brasil está no momento, com o Dunga, melhor preparado que a Argentina, com mais moral porque o time vem tendo melhores resultados, mas jogar com a Argentina lá na Argentina sempre é muito duro, então a gente tem que estar preparado", acrescentou.

O tricampeão mundial com o Brasil em 1958, 1962 e 1970 deu essas declarações durante cerimônia na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na qual a instituição de fomento anunciou empréstimo de 6 milhões de reais para a construção do Museu do Pelé, em Santos.

O museu, que vai abrigar em seu acervo objetos da vitoriosa carreira de Pelé, tem custo aproximado de 20 milhões de reais e ainda está sem previsão para abertura.

"Nós vamos passar. (Mas com o museu) as novas gerações vão ter essa referência. Isso é muito importante para mim, para o Brasil, e por isso nós estamos fazendo esse esforço", afirmou.

A seleção brasileira lidera as eliminatórias com 27 pontos em 14 jogos, um ponto à frente do Chile, adversário do dia 9 de setembro. O Paraguai, com 24 pontos, e a Argentina, com 22, completam as quatro primeiras posições que garantem vaga direta para o Mundial da África do Sul no ano que vem.

(Reportagem de Reuters TV; Texto de Pedro Fonseca)

 
<p>Pel&eacute; conversa com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. O ex-jogador avalia o Brasil melhor que a Argentina para cl&aacute;ssico de setembro. REUTERS/Sergio Moraes</p>