Análises de provas de Bolt revelam dados assombrosos

sábado, 22 de agosto de 2009 14:08 BRT
 

Por Mitch Phillips

BERLIM (Reuters) - Desde que Usain Bolt baixou em 11 centésimos de segundo os recordes mundiais dos 100m e 200m rasos no Mundial de Atletismo de Berlim, todos têm se perguntado quão mais rápido ele pode correr.

As análises biomecânicas de ambas as provas foram divulgadas pela organização do Mundial e oferecem leituras incríveis dos feitos do jamaicano.

Para estabelecer o seu recorde de 19s19 nos 200m rasos, Bolt correu a primeira parte da final, com largada e o trecho em curva, em 9s92. Michael Johnson, cujos 19s32 da Olimpíada de Atlanta, em 1996, eram o recorde mundial até Bolt fazer 19s30 em Pequim, no ano passado, descreveu a primeira metade da corrida de quinta-feira como inacreditável.

"Ninguém jamais correu uma curva como aquela e provavelmente nunca correrá", disse Johnson. "Essa é a curva mais incrível da história."

Os 100m finais da prova de Bolt foram percorridos em 9s27. Bolt afirmou que estava um pouco cansado e que "não foi uma grande corrida."

Na prova de 100m, ele cravou 9s58. Durante a disputa, desmentiu a própria alegação de ser um mal largador ao chegar aos 20 metros com 2s89, o mais rápido da prova e três centésimos à frente do norte-americano Tyson Gay, conhecido pela sua explosão ao sair do bloco de partida.

Nos 100m, o jamaicano alcançou a velocidade de 12,35 metros por segundo, ou 44,46km/h, e deu 40,92 passadas, contra 45,94 de Tyson Gay, segundo colocado. O tempo do norte-americano, 9s71, foi o terceiro mais rápido da história.

Bolt voltará às pistas neste sábado, na final do revezamento 4x100m rasos, quando a Jamaica tentará repetir o título conquistado nos Jogos Olímpicos de Pequim, com recorde mundial.

As chances de ouro do país aumentaram na sexta-feira, com a desclassificação dos Estados Unidos.

 
<p>O corredor jamaicano Usain Bolt com a medalha de ouro pela prova de 200 metres rasos em Berlim. REUTERS/Fabrizio Bensch</p>