Toyota admite incerteza quanto a renovação de Trulli

sábado, 22 de agosto de 2009 15:41 BRT
 

Por Alan Baldwin

VALÊNCIA (Reuters) - A Toyota levantou dúvidas neste sábado sobre o futuro do italiano Jarno Trulli na Fórmula 1. O presidente da equipe, John Howett, afirmou que há uma grande possibilidade de que o piloto não esteja na equipe no próximo ano.

"Estamos em negociação (com Trulli) e não chegamos a um acordo, e há a possibilidade de não chegarmos," afirmou Howett à Reuters após o treino classificatório para o Grande Prêmio da Europa.

"No momento, a diferença (entre as duas propostas) é razoavelmente grande," acrescentou Howett. "Temos de dizer que há uma possibilidade muito grande de não (renovarmos)."

Ele disse que as negociações se arrastam há alguns meses, mas não entrou em detalhes sobre o piloto de 35 anos, que chegou à equipe em 2004 e deu à Toyota, que ainda não venceu uma prova na Fórmula 1, dois segundos lugares.

Trulli reconheceu que sua posição está incerta, mas disse que há uma reflexão sobre o atual estado do esporte. "Estamos conversando, mas nada está realmente certo ou claro, então acho que devemos esperar um pouco mais," afirmou. "Estou esperando para conversar com algumas equipes. Estamos conversando com outros, mas a prioridade é entender, primeiramente, o que a Toyota quer fazer."

Ele acrescentou: "Dinheiro nunca foi o problema, absolutamente. No momento, há muito corte de gastos e acredito que, nesse quesito, o piloto também tem seu papel, e eu estou feliz em fazê-lo."

Segundo Howett, o futuro do alemão Timo Glock é mais seguro: "Com Timo, temos o contrato como nossa vantagem. Acho que há uma grande possibilidade de renovarmos, mas pedimos para ele melhorar nas classificações. Nas provas, ele é fenomenal. Creio que foi o segundo mais rápido na Hungria, de acordo com nossas análises."

Neste sábado, Trulli ficou apenas com a 18 colocação, enquanto Glock largará em 13.

O mercado de pilotos recebeu um novo impulso após a BMW ter decidido abandonar a categoria no próximo ano, deixando o polonês Robert Kubica e o alemão Nick Heidfeld desempregados. Além disso, há rumores sobre a ida de Fernando Alonso para a Ferrari, no lugar de Kimi Raikkonen.

"Parece que a posição da Ferrari com Kimi pode criar ou fechar outras oportunidades," completou Howett.