Suzuka assina contrato para sediar GP do Japão em 2010 e 2011

domingo, 23 de agosto de 2009 15:27 BRT
 

Por Alan Baldwin

VALÊNCIA, Espanha (Reuters) - Suzuka irá sediar o Grande Prêmio do Japão do ano que vem e de 2011, disseram os operadores do circuito de propriedade da Honda neste domingo após reunião com Bernie Ecclestone, o chefão da Fórmula 1.

A corrida do ano que vem deveria acontecer nas instalações da Toyota em Fuji segundo um contrato de alternância, o que foi colocado em dúvida no mês passado quando o circuito abdicou dos direitos de sediar por culpa da crise econômica global.

Suzuka também é o cenário da corrida deste ano no início de outubro, mas após a decisão surpreendente da Honda de se retirar da F1 no final do ano passado, o circuito não tinha certeza de preencher a lacuna antes de sua próxima corrida acertada para 2011.

"Estamos encantados que o circuito de Suzuka possa receber um dos maiores eventos esportivos do país sediando o Grande Prêmio do Japão nos próximos três anos," disse Hiroshi Oshima, presidente da Mobilityland Corporation, operadora do circuito de propriedade da Honda, em um comunicado.

Detalhes do contrato, assinado ao lado do ônibus de Ecclestone no paddock do GP da Europa à vista dos repórteres e fotógrafos e selado com um aperto de mãos formal, não foram divulgados.

"Eu fiz e continuarei a fazer tudo para tornar o GP do Japão um sucesso," disse Ecclestone.

O britânico disse que a vaga de Valência no calendário dos grandes prêmios também está garantida, apesar da venda de ingressos decepcionante este ano e uma estréia morna em 2008.

"É cem por cento de certeza," declarou ele quando indagado se o GP espanhol continuaria. Conversas com a Argentina sobre um eventual retorno a Buenos Aires também continuam.

"Eles têm que arrumar tudo para que saibamos se é um circuito de rua, um novo circuito ou o que," disse ele.

"Estamos conversando e espero que possamos chegar a algum lugar para podermos voltar à Argentina," disse Ecclestone. A última prova de F1 no país sul americano aconteceu em 1998.

 
<p>O chef&atilde;o da F&oacute;rmula 1 Bernie Ecclestone fechou o acordo com o presidente da Mobilityland Corporation, Hiroshi Oshima, neste domingo em Val&ecirc;ncia. REUTERS/Heino Kalis</p>