August 29, 2009 / 4:47 PM / in 8 years

Federer quer 6o título do Aberto dos EUA para agradecer fãs

5 Min, DE LEITURA

<p>O su&iacute;&ccedil;o Roger Federer quer conquistar sexto t&iacute;tulo no Aberto dos Estados Unidos, o &uacute;ltimo Grand Slam do ano, que come&ccedil;a na segunda-feira. Federer est&aacute; a um passo de igualar o feito de Bill Tilden, que venceu o torneio por seis vezes seguidas na d&eacute;cada de 1920.John Sommers</p>

Por Larry Fine

NOVA YORK (Reuters) - Roger Federer quer agradecer os fãs de Nova York pelo apoio recebido brindando-os com o sexto título consecutivo no Aberto dos Estados Unidos, o último Grand Slam do ano, que começa na segunda-feira.

Federer está a um passo de igualar o feito de Bill Tilden, que venceu o torneio americano por seis vezes seguidas na década de 1920, antes de o campeonato se tornar aberto a tenistas profissionais.

"O apoio dos fãs sempre foi determinante para mim, por isso estou tão animado este ano para voltar," disse Federer, de 28 anos, após vencer o Masters 1000 de Cincinnati este mês.

"Espero poder mostrar a eles o que realmente sou capaz de fazer numa quadra de tênis."

Federer chegou a Nova York em um momento difícil no ano passado, depois de perder a espetacular final de Wimbledon para Rafael Nadal, e ainda não conseguir a medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim.

O suíço contou com o apoio entusiasmado dos torcedores para conquistar seu quinto título do torneio disputado em Flushing Meadows. Este ano, entretanto, ele venceu seu primeiro Aberto da França, o último Grand Slam que faltava em sua coleção.

Ele, então, recuperou o troféu de Wimbledon, em julho, registrando o recorde de 15 títulos de Grand Slam e superando o americano Pete Sampras.

"Eles foram sensacionais," declarou Federer sobre a recepção que teve em Nova York. "Os motoristas de táxi e todo mundo estava parando para me desejar sorte."

"Foi algo que eu nunca havia experimentado antes em Nova York. Acredito que isso tenha ajudado a mudar as coisas para mim."

PRÓXIMO PASSO

Os primeiros desafiantes de Federer também têm suas razões para estar otimistas.

Número 2 do mundo, o britânico Andy Murray, que fez sua primeira final de Grand Slam no ano passado em Nova York contra Federer, acredita que está pronto para dar um passo à frente.

"Acredito que se eu jogar bem, posso, obviamente, vencer o torneio," disse Murray, que já venceu cinco torneios este ano, incluindo quatro em quadras duras.

A vitória do escocês em Montreal o colocou no segundo lugar do ranking mundial, ultrapassando Rafael Nadal, que perdeu pontos no ranking por ter ficado longe das quadras por conta de tendinite nos dois joelhos.

Vencedor do Aberto da Austrália, Nadal está trabalhando para voltar à antiga forma e precisa do título do aberto americano para completar seus títulos de Grand Slam.

No ano passado, ele avançou até as semifinais, quando perdeu para Murray. Encorajado por sua recuperação, o espanhol disse aos repórteres que tem chances de vencer em Flushing Meadows e tem a admiração de Murray.

"Rafael está faminto," disse Murray. "Seu tênis pode não estar tão bom quanto no início do ano. Mas eu acho que ele estará muito faminto por não ter participado de Wimbledon e ele vai querer voltar forte aqui," acrescentou.

Mas Murray alertou que o Aberto em quadra dura poderia prejudicar Nadal. "Estas são as quadras mais difíceis para um retorno. Elas são muito duras e aderentes. Isso realmente machuca os ligamentos."

Andy Roddick, cujos 27 títulos na carreira incluem a vitória no Aberto dos Estados Unidos em 2003, adotou uma nova rotina de exercícios com Larry Stefanki, seu quarto técnico desde 2003.

O americano espera ir além de sua bela apresentação na final de Wimbledon, quando perdeu para Federer no quinto set.

"Acredito que o resultado o motivou," disse Patrick McEnroe, capitão dos Estados Unidos na Copa Davis. "Andy agora acredita que é capaz de vencer. O que fez em Wimbledon mostrou que ele realmente melhorou como jogador e amadureceu como pessoa."

Número 4 do mundo, o sérvio Novak Djokovic também surge como uma grande ameaça em quadras duras e conseguiu alcançar uma grande forma nas últimas semanas.

O campeão do Aberto da Austrália em 2008 bateu Rafael Nadal em sets diretos na semifinal em Cicinnati, antes de ser arrasado por Federer na final.

"Infelizmente, eu nasci na era errada," lamentou o tenista de 22 anos, que foi derrotado em outras quatro finais este ano, incluindo duas para Nadal e uma para Murray.

O argentino Juan Martin Del Potro, que obrigou Federer a jogar cinco sets na semifinal de Roland Garros, é outro candidato ao título. Ele bateu Roddick na final do Torneio de Washington, mas perdeu para Murray em Montreal e está ansioso para garantir seu lugar na elite do tênis.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below