Zagueiro argentino diz que seu time não irá se curvar ao Brasil

quarta-feira, 2 de setembro de 2009 21:14 BRT
 

Por Luis Ampuero

BUENOS AIRES (Reuters) - A seleção argentina de futebol não deverá se preocupar com o samba brasileiro, já que no sábado será ela que colocará a música na partida no estádio de Rosario Central pela eliminatória sul-americana para a Copa do Mundo de 2010, disse na quarta-feira o zagueiro Gabriel Heinze.

A Argentina receberá o Brasil pela 15a rodada da eliminatória para a Copa da África do Sul e precisa ganhar para se aproximar dos pentacampeões do mundo, que lideram a competição.

"No sábado quem coloca a música somos nós", disse Heinze, defensor do Olympique de Marselha francês, depois de elogiar o Brasil e em resposta à pergunta de um jornalista sobre se sua equipe iria "dançar samba".

Por sua parte Mascherano, que conhece em detalhes o futebol brasileiro após sua passagem pelo Corinthians, destacou que o segredo será se manter organizado e não se desesperar se o gol não chegar.

No treino de quarta-feira na concentração argentina, a escalação provável do técnico Diego Maradona ganhou de 7 x 0, com cinco gols de Lionel Messi, de uma equipe de juniores.

Antes e depois da última partida que a Argentina jogou no estádio Monumental do River Plate contra a Colômbia, Maradona se queixou do campo e das instalações do clube argentino com capacidade para 65 mil espectadores.

A Associação de Futebol da Argentina (AFA) mudou a partida contra o Brasil para o estádio do Rosario Central, onde os 27 mil torcedores poderiam exercer uma pressão maior contra o clássico rival pela proximidade das arquibancadas do campo, tese refutada pelo volante Javier Mascherano.

"Seria uma estupidez pensar que a mudança de cenário vai nos fazer ganhar o jogo. No campo são onze contra onze", disse ele.

O Brasil lidera a eliminatória com 27 pontos, seguido por Chile (26), Paraguai (24), Argentina (22) e Equador (20).

Os quatro primeiros se classificam para a África do Sul, e o quinto jogará uma repescagem com um time da Concacaf.

 
<p>A sele&ccedil;&atilde;o argentina de futebol n&atilde;o dever&aacute; se preocupar com o samba brasileiro, j&aacute; que no s&aacute;bado ser&aacute; ela que colocar&aacute; a m&uacute;sica na partida no est&aacute;dio de Rosario Central pela eliminat&oacute;ria sul-americana para a Copa do Mundo de 2010, disse na quarta-feira o zagueiro Gabriel Heinze. REUTERS/Juan Medina (SPAIN SPORT SOCCER)</p>