Disputa para sediar Copa 2018 será a mais difícil,diz Inglaterra

sexta-feira, 4 de setembro de 2009 15:25 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - A corrida para sediar a final da Copa do Mundo 2018 será a mais competitiva da história, disse nesta sexta-feira o chefe executivo da candidatura da Inglaterra, Andy Anson.

Minimizando a ideia do favoritismo inglês para o direito de sediar o evento, ele disse que, com 11 países concorrendo pelos votos dos 24 membros do Comitê Executivo da Fifa, é impossível dizer quem deve ganhar.

Além da Inglaterra, há candidaturas de Espanha, Rússia, Austrália, Estados Unidos, Holanda-Bélgica, Catar, Indonésia, México, Japão e Coreia do Sul para 2018 ou 2022.

A Fifa anunciará os anfitriões para os dois torneios em Zurique, na Suíça, em dezembro do ano que vem, e Anson disse em coletiva de imprensa em Londres que enquanto a Inglaterra representa um par de mãos seguro, outros países também apresentam pontos positivos.

"Há 11 países concorrendo e eles estão tão desesperados para vencer quanto nós", disse.

"Isso torna (a disputa) incrivelmente desafiadora e, por isso, não podemos ser complacentes. Qualquer conversa sobre a Inglaterra ser favorita é mal aplicada porque está muito competitivo".

"Não acredito que seremos os únicos a ficar realmente aficionados para ganhar".

"Será uma disputa incrivelmente difícil e é por isso que temos que trabalhar ainda mais para assegurar que nossas mensagens sejam bem claras".

Uma mensagem que a Inglaterra poderia divulgar é que tem "boa infraestrutura, bons estádios e a paixão real dos fãs", que garantiriam o sucesso do torneio, afirmou.