Lippi recorre à Juventus para ressuscitar seleção italiana

sexta-feira, 4 de setembro de 2009 17:35 BRT
 

Por Mark Meadows

MILÃO (Reuters) - Apesar do fracasso da Itália na Copa das Confederações e das preocupações com a falta de criatividade no time, o técnico Marcello Lippi só fez pequenas mudanças em seu esquadrão para a eliminatória da Copa do Mundo contra a Geórgia no sábado.

Lippi ficou com a formação 4-4-2 ao invés da desajeitada 4-3-3, mas os campeões do mundo estão sob os holofotes da mídia mais do que nunca depois das derrotas para Brasil e Egito no torneio de junho.

O ex-técnico da Juventus defendeu sua decisão de esnobar Antonio Cassano da Sampdoria mais uma vez e escalou oito jogadores da Juve para a partida do Grupo Oito.

"A Juventus visou jogadores italianos, então é natural que monopolizem minha atenção", disse Lippi em uma coletiva de imprensa, destacando os novos contratados do clube italiano Fabio Cannavaro e Fabio Grosso.

A Itália, um ponto acima da Irlanda com um jogo a menos, não marcou nenhum gol em três partidas, incluindo o empate sem gols no amistoso do mês passado com a Suíça, no qual a formação 4-4-2 teve um sucesso irregular.

O atacante Amauri, brasileiro de nascença e naturalizado italiano que atua na Juventus, espera seu passaporte italiano e em breve poderá assumir uma vaga na seleção italiana.

 
<p>Apesar do fracasso da It&aacute;lia na Copa das Confedera&ccedil;&otilde;es e das preocupa&ccedil;&otilde;es com a falta de criatividade no time, o t&eacute;cnico Marcello Lippi s&oacute; fez pequenas mudan&ccedil;as em seu esquadr&atilde;o para a eliminat&oacute;ria da Copa do Mundo contra a Ge&oacute;rgia no s&aacute;bado. REUTERS/David Mdzinarishvili (GEORGIA SPORT SOCCER)</p>