Velejadora australiana adolescente colide com cargueiro no mar

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 09:33 BRT
 

CANBERRA (Reuters) - Colidir um veleiro contra um enorme cargueiro é mais que um simples problema para a maioria das pessoas, mas não para uma adolescente australiana que deseja se tornar a mulher mais jovem a dar a volta ao mundo sozinha navegando.

Jessica Watson, de 16 anos, fazia testes no mar em seu barco de 32 pés (10 metros) quando aconteceu a colisão com o cargueiro nas primeiras horas desta quarta-feira, em sua primeira noite no mar.

"O incidente me dá confiança -- uau, eu realmente posso lidar com isso", disse Watson a repórteres. "Poderia ter acontecido com qualquer um. Creio que estou sem sorte, mas também aprendi com isso".

O mastro e o convés do iate rosa de Watson foram danificados, mas ela conseguiu retornar com segurança à terra. Investigações serão realizadas para determinar se o cargueiro não parou, afirmaram autoridades marítimas, mas é mais provável que o enorme barco não tenha sequer visto o veleiro de Watson.

A jovem seguia do sul do Estado de Queensland à Sydney quando o acidente ocorreu. Ela planeja iniciar a navegação de 23.000 milhas náuticas ao redor do mundo a partir de Sydney.

A tentativa de recorde acontece após tentativa semelhante de uma menina de 13 anos na Holanda, que foi impedida no mês passado de tentar navegar sozinha ao redor do mundo, colocando a menina temporariamente sob a supervisão do Estado.

No fim de agosto, o britânico Mike Perham, de 17 anos, estabeleceu um recorde como a pessoa mais jovem a velejar sozinha pelo mundo depois de nove meses no mar.

Em julho, o norte-americano Zac Sunderland, também de 17, chegou ao sul da Califórnia para completar uma circunavegação solo de 13 meses.

Apesar do contratempo de Watson, sua tentativa de recorde é fortemente apoiada pelo australiano Ian Kiernan, que já completou a volta ao mundo.

"É bom para a comunidade ter esses exemplos de coragem e aventura. Pode ajudar outros a melhorarem seus padrões e ambições. Assim, eu apoio o turismo de aventura", disse ele a uma televisão australiana.

(Reportagem de James Grubel)