Force India desperdiçou chance de ter piloto indiano--Ecclestone

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 14:15 BRT
 

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Force India deveria ter escolhido um piloto indiano para substituir Giancarlo Fisichella quando o italiano foi para a Ferrari, preparando o terreno para o primeiro Grande Prêmio de Fórmula 1 na Índia, em 2011, disse nesta quarta-feira o empresário da categoria, Bernie Ecclestone.

O chefe da F1 ficou decepcionado por Vijay Mallya, seu amigo e chefe da Force India, não ter oferecido a chance para o indiano Karun Chandhok, de 25 anos, que pilota na série GP2. Em vez disso, ele deu a vaga de Fisichella ao piloto reserva da equipe Vitantonio Liuzzi.

"Se ele é obrigado por contrato a fazer isso eu não sei, mas teria gostado de ver Karun no carro no resto da temporada", disse Ecclestone.

Liuzzi vai correr pela primeira vez desde que pilotou para a Toro Rosso, de propriedade da Red Bull, em 2007, a partir o GP italiano, em Monza, no próximo domingo.

A Fórmula 1 enfrenta dificuldades na Índia, onde o ministro dos Esportes, Manohar Singh Gill, considera a modalidade mais um espetáculo do que um esporte e se recusa a conceder isenções alfandegárias à empresa que constrói o circuito perto de Nova Délhi.

"Precisamos ver Karun em um carro de F1 logo", disse Ecclestone. "Ele tem talento e habilidade, é só questão de alguém agir agora".

O magnata indiano Mallya comprou uma participação na Spyker dois anos atrás e a rebatizou, mas evitou a tentação de colocar um piloto indiano e ignorou Narain Karthikeyan, que se tornou o primeiro piloto indiano de F1 em 2005, assim com o jovem Chandhok.

Ecclestone ficou surpreso de não ver mais empresas indianas patrocinando equipes de F1, o que ele acredita poder lhes proporcionar atenção mundial, e acredita que um piloto local as encorajaria a fazê-lo.

(Reportagem de N.Ananthanarayanan)

 
<p>Bernie Ecclestone quer ver um indiano em breve na F1 REUTERS/Heino Kalis (</p>