Cuba critica EUA por "roubo de atletas" após série de deserções

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 16:43 BRT
 

HAVANA (Reuters) - Cuba se rebelou nesta sexta-feira contra o "roubo de talentos esportivos" e acusou os Estados Unidos de promoverem uma onda de deserções que golpeou nas últimas semanas os fãs de esporte da ilha.

No último mês, dois jogadores de beisebol do primeiro escalão abandonaram Cuba ilegalmente e quatro jogadores de basquete desertaram durante uma turnê na Espanha.

"A compra e venda de talentos esportivos entre nações fere a autoestima dos povos dos países pobres... mas é parte de um crime muito mais grave, que inclui a fuga de cérebros, o roubo do patrimônio artístico e cultural... a emigração por motivos econômicos", disse o Granma, o jornal do Partido Comunista.

Cuba, onde o esporte não é profissionalizado, acusa os Estados Unidos de roubarem seus talentos esportivos, principalmente no beisebol e no boxe, duas das modalidades mais fortes da ilha.

Segundo o jornal norte-americano em espanhol Nuevo Herald, os jogadores de beisebol Yunieski Maya e Leslie Anderson saíram de Cuba recentemente com a esperança de assinarem grandes contratos nas principais ligas dos Estados Unidos.

Quatro jogadores da seleção de basquete abandonaram a equipe em agosto durante um amistoso na Espanha, e um deles, Geoffrei Silvestre, assinou com um time local, o Plasencia.

"O fato da ilha ter optado por salvaguardar os princípios do esporte amador e não os do profissionalismo mercantilista foi aproveitado por seu poderoso inimigo para atacá-la, apelando aos instintos primários que fundamentam o capitalismo", disse o Granma, aludindo aos Estados Unidos.

(Reportagem de Nelson Acosta)