13 de Setembro de 2009 / às 20:56 / em 8 anos

Caso Nelsinho Piquet põe em xeque credibilidade da F1, diz Head

Por Alan Baldwin

MONZA, Itália (Reuters) - As alegações de má conduta colocaram em dúvida a credibilidade da Fórmula 1 e a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) deve tomar uma atitude firme, disse Patrick Head, co-proprietário da Williams.

O piloto brasileiro Nelsinho Piquet alega que seu ex-chefe da Renault ordenou que ele batesse no Grande Prêmio de Cingapura no ano passado para atrair o safety car e ajudar seu companheiro de equipe espanhol Fernando Alonso a vencer a corrida.

A Renault foi convocada pela FIA para uma audiência em Paris no dia 21 de setembro para responder às acusações de manipular o resultado da corrida e conduta fraudulenta.

A equipe por sua vez abriu um processo contra Nelsinho e seu pai, o tricampeão Nelson Piquet, acusando-os de falsas alegações e tentativa de chantagem.

Nelsinho, de 24 anos, foi demitido da escuderia no mês passado por não conseguir nenhum ponto em dez corridas. Ele disse em um comunicado esta semana ter dito a verdade à FIA.

“Se ficar provado que a manipulação é uma prática constante, acho justo que ninguém tenha mais interesse na Fórmula 1 por não acreditar no que vê”, disse Head aos repórteres no GP de Monza.

“Igualmente, se alguém utilizou procedimentos operacionais para obter vantagens como foi insinuado, é preciso tratar disso com firmeza.”

Head, cuja equipe foi ligada a um possível acordo com a Renault envolvendo motores, disse desconhecer os detalhes do caso, mas houve fortes especulações à época.

“Pareceu incrível colocar Alonso na 15a posição do grid com combustível para 12 voltas. Houve muitos boatos na ocasião”, disse.

“Se pediram a Nelsinho explicitamente que batesse ou rodasse o carro, independentemente de sua situação contratual, em minha opinião ele deveria ter dito não”, afirmou o britânico.

PRESSÃO

“Jovens sob pressão cometem erros”, disse Head. “Eu colocaria 99 por cento da culpa nas pessoas que pediram a ele que fizesse isso, se foi o que aconteceu”, acrescentou.

“É um esporte complexo, alguns nem acham que é um esporte”, disse.

“Mas se todos os carros e motores são desenhados de acordo com as mesmas regras, apesar de todas as intrigas que acontecem antes das provas e todos os arranjos comerciais e tudo o mais, quando as luzes se apagam na largada seria de se esperar que a corrida fosse limpa.”

Head disse que a Williams ficaria “horrorizada” se um piloto sugerisse bater de propósito para ajudar a equipe em uma corrida, e que o mesmo se aplica à mídia, revelando ter ouvido de um jornalista que Nelsinho Piquet o informou 15 minutos depois da corrida o que realmente havia ocorrido.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below