Vilas diz que sucessor Del Potro foi um "campeonazo" em NY

terça-feira, 15 de setembro de 2009 18:09 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O tenista Juan Martín Del Potro foi um grande campeão ao vencer o suíço Roger Federer na final do Aberto dos Estados Unidos, disse nesta terça-feira o compatriota argentino Guillermo Vilas, que obteve o mesmo título em 1977.

Del Potro, o segundo argentino a conquistar o título em Nova York, venceu a final de segunda-feira por 3 sets a 2 (3-6, 7-6, 4-6, 7-6 e 6-2) diante do número um do mundo, que soma a cifra recorde de 15 títulos em torneios de Grand Slam.

"Sem dúvida ele demonstrou ser um campeonazo", disse Vilas, que aplaudiu de pé o triunfo de Del Potro em um dos camarotes da quadra central de Flushing Meadows.

"Parecia que no primeiro set Federer tinha o comando total, mas no segundo set aconteceram muitas coisas, todo o cenário mudou, e daí em diante a partida ficou muito tensa", explicou Vilas, que em 1977 ganhou o título diante do norte-americano Jimmy Connors.

Vilas disse ter ficado impressionado com a atitude de seu compatriota. "Vi como jogou toda a partida e é impressionante que tenha ganhado o título com tão pouca idade", disse Vilas.

O outro argentino vencedor de um título de Grand Slam foi Gastón Gaudio, em Roland Garros, em 2004. Entre as mulheres, a honra coube a Gabriela Sabatini, que venceu o Aberto dos Estados Unidos em 1990.

Del Potro, que completará 21 anos no dia 23 de setembro, disse à mídia argentina que "ainda não acredito no que fiz".

"Cada cinco minutos me vêm imagens da última partida e do último ponto e sinto calafrios", disse Del Potro nesta terça-feira em várias entrevistas concedidas a rádios da Argentina.

"Isto é um sonho e realmente me custa entender o que me está acontecendo, mas quando chegar em casa, tranquilo, com certeza vou me dar conta", ressaltou o tenista, que chega a Buenos Aires na quarta-feira.

(Reportagem de Luis Ampuero)

 
<p>Argentino Juan Martin del Potro que conquistou o Aberto dos EUA contra o su&iacute;&ccedil;o Roger Federer. REUTERS/Shaun Best</p>