Obama mantém aberta possibilidade de ir à votação olímpica

sexta-feira, 25 de setembro de 2009 08:08 BRT
 

PITTSBURGH (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pode "perfeitamente" ir a Copenhague para defender pessoalmente a candidatura da cidade de Chicago para ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, disse seu porta-voz.

Oficialmente, o plano continua sendo que a mulher de Obama, Michelle, atenderá à sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI) no dia 2 de outubro que escolherá entre quatro cidades --Rio de Janeiro, Madri, Tóquio e Chicago, a cidade onde Obama fez sua carreira política.

Obama disse este mês ao presidente do COI, o belga Jacques Rogge, que não iria à votação para permanecer nos EUA em busca da aprovação do reforma de sistema de saúde, seu maior desafio na política interna.

Mas uma autoridade da Casa Branca, falando sob condição de anonimato, disse na quinta-feira que uma equipe de assessores de Obama esteve em Copenhague por vários dias para preparar uma possível visita do presidente. A autoridade destacou, no então, que a "visita por enquanto não está no calendário".

Perguntado se era possível que Obama fosse à capital da Dinamarca, o secretário de imprensa da Casa Branca, Robert Gibbs, disse a repórteres: "perfeitamente".

A disputa para sediar os Jogos de 2016 promete ser uma das mais apertadas dos últimos tempos, e a presença de Obama seria um importante apoio para Chicago, uma vez que os chefes de Estado têm tido papel cada vez mais decisivo na votação olímpica.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem presença confirmada para defender a realização dos Jogos no Rio. Madri terá o apoio do rei Juan Carlos, enquanto Tóquio ainda aguarda a resposta ao convite feito ao novo premiê japonês, Yukio Hatoyama.

(Reportagem de Steve Holland)

 
<p>O presidente dos EUA, Barack Obama, e a primeira-dama, Michelle Obama, esperam a chegada dos l&iacute;deres em Pittsburgh. Obama pode "perfeitamente" ir a Copenhague para defender pessoalmente a candidatura da cidade de Chicago para ser a sede dos Jogos Ol&iacute;mpicos de 2016, disse seu porta-voz.24/09/2009. REUTERS/Philippe Wojazer</p>