Fator Obama esquenta lobby em disputa por Olimpíada de 2016

terça-feira, 29 de setembro de 2009 09:39 BRT
 

Por Paul Radford

COPENHAGUE (Reuters) - As quatro cidades que disputam o direito de realizar a Olimpíada de 2016 iniciaram nesta terça-feira três dias de esforços intensivos por suas candidaturas, mas o "fator Obama" é que tem dominado a reta final antes da votação do Comitê Olímpico Internacional (COI), na sexta-feira.

O anúncio feito na segunda-feira de que o presidente dos EUA, Barack Obama, irá a Copenhague apoiar a candidatura de Chicago era a notícia que as três cidades rivais menos queriam ouvir.

Madri, Rio de Janeiro e Tóquio temem que os membros do COI se rendam ao carisma de Obama, assim como ocorreu há quatro anos quando o então primeiro-ministro britânico, Tony Blair, conseguiu convencer os delegados a escolherem Londres como sede da Olimpíada de 2012, derrotando a favorita Paris.

Dois anos depois, foi a vez de o então presidente russo, Vladimir Putin, desempenhar um papel decisivo na vitória da azarã Sochi como sede da Olimpíada de Inverno de 2014.

Obama, que fez carreira política em Chicago, inicialmente decidira ficar em Washington negociando a reforma da saúde pública, e anunciou que seria representado em Copenhague por sua esposa, Michelle. Na segunda-feira, no entanto, a Casa Branca disse que o casal iria em peso à sessão do COI.

Antes do anúncio da viagem de Obama, a publicação especializada Around the Rings dava um ligeiro favoritismo ao Rio em relação a Chicago, com Madri e Tóquio logo atrás. Essa é considerada a disputa mais acirrada da história dos Jogos Olímpicos.

Mas agora há poucas dúvidas entre os observadores de que a presença de Obama desequilibrou a disputa em favor da cidade norte-americana, embora todas as quatro cidades ainda sejam vistas como candidatas com chances razoáveis.

O presidente do COI, Jacques Rogge, deve chegar na terça-feira a Copenhague, e a maioria dos 115 membros do COI deve se fazer presente nos próximos dois dias.

Chicago, Rio e Tóquio lançaram sua campanha final na terça-feira, voltando-se principalmente para os mais de mil jornalistas credenciados. Madri, que adota uma estratégia mais discreta, deve começar sua campanha final na quarta-feira, depois da chegada do primeiro-ministro José Luiz Zapatero e do rei Juan Carlos 2.

Celebridades também chegam aos montes para apoiar as diversas candidaturas. O Rio aposta na figura de Pelé, que na terça-feira participa de um evento de futebol de rua. Chicago contará com o ex-velocista Michael Johnson e com a ex-ginasta de origem romena Nadia Comaneci.

 
<p>Pol&iacute;cia dinamarquesa ronda o Bella Center, em Copenhagen, local do an&uacute;ncio da sede das Olimp&iacute;adas de 2016. As quatro cidades que disputam o direito de realizar a Olimp&iacute;ada de 2016 iniciaram nesta ter&ccedil;a-feira tr&ecirc;s dias de esfor&ccedil;os intensivos por suas candidaturas, mas o "fator Obama" &eacute; que tem dominado a reta final antes da vota&ccedil;&atilde;o do Comit&ecirc; Ol&iacute;mpico Internacional (COI), na sexta-feira.28/09/2009.REUTERS/Keld Navntoft/Scanpix</p>