Lula compara candidatura do Rio a 2016 à sua trajetória política

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 07:42 BRT
 

Por Pedro Fonseca

COPENHAGUE (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que, assim como ele precisou superar a desconfiança para se tornar o primeiro operário a alcançar à Presidência do Brasil, o Rio de Janeiro também vai provar que é possível realizar uma Olimpíada na América do Sul pela primeira vez.

Em Copenhague para defender a candidatura do Rio aos Jogos de 2016, Lula acrescentou que seu discurso aos membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) antes da votação de sexta-feira vai exaltar "o momento mágico" atravessado pela economia do país e disse que dessa vez é o Brasil que vai entoar o lema: "sim, nós podemos".

"Penso que é o mesmo tipo de convencimento", disse Lula a jornalistas em entrevista coletiva, comparando a campanha do Rio com a sua própria chegada à Presidência, em 2003, após ter sido derrotado em três campanhas presidenciais.

"Aqui a história se repete. Temos os Jogos Olímpicos muito marcados por serem feitos em países desenvolvidos... muitas Olimpíadas no continente europeu e muitas nos Estados Unidos. Queremos mostrar que o Brasil é o único país entre as 10 economias do mundo que nunca realizou uma Olimpíada", acrescentou.

O Rio, pela primeira vez na reta final de uma candidatura olímpica após duas tentativas frustradas, trava com Madri, Chicago e Tóquio uma das mais apertadas disputas olímpicas dos últimos anos, em que, segundo o presidente, "pela primeira vez todo mundo quer ser o pai da criança".

O papel do presidente é considerado chave na campanha da cidade, especialmente porque Chicago --vista por sites especializadas como favorita ao lado do Rio-- terá o apoio do presidente dos EUA, Barack Obama, na votação dos membros do COI.

Lula inclusive usou o famoso slogan da campanha presidencial de Obama: "Sim, nós podemos (Yes, we can)" para descrever o sentimento de mudança defendido pela candidatura brasileira.

"Queremos dizer ao mundo que nós podemos. Nós nunca dissemos. No Brasil estávamos habituados a dizer nós não podemos, somos pobres, como se fôssemos cidadãos inferiores. Mas desta vez queremos olhar para o mundo e dizer: 'Sim, nós podemos e vamos realizar essa Olimpíada'", disse Lula, numa concorrida entrevista no hotel que serve de base para a delegação brasileira na capital dinamarquesa.   Continuação...

 
<p>O presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva fala durante confer&ecirc;ncia em Copenhague. Lula afirmou nesta quinta-feira que, assim como ele precisou superar a desconfian&ccedil;a para se tornar o primeiro oper&aacute;rio a alcan&ccedil;ar &agrave; Presid&ecirc;ncia do Brasil, o Rio de Janeiro tamb&eacute;m vai provar que &eacute; poss&iacute;vel realizar uma Olimp&iacute;ada na Am&eacute;rica do Sul pela primeira vez.01/10/2009.REUTERS/Pawel Kopczynski</p>