Obama e primeira-dama exaltam Chicago em sessão do COI

sexta-feira, 2 de outubro de 2009 07:56 BRT
 

Por Paul Radford

COPENHAGUE, 2 de outubro (Reuters) - Chicago lançou mão de seus dois trunfos nesta sexta-feira, o presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle, ambos com discursos apaixonados em defesa da escolha da cidade norte-americana como sede das Olimpíadas de 2016.

O presidente, que partiu de Washington durante a noite e foi direto para a sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI), ressaltou que Chicago é o lugar que ele e sua mulher chamam de casa.

O COI escolherá entre Chicago, Madri, Rio de Janeiro e Tóquio em uma votação após as últimas apresentações das quatro cidades.

"Eu vim aqui hoje como um defensor apaixonado dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, acreditando fortemente no movimento que eles representam, e como um orgulhoso habitante de Chicago", disse Obama, último a discursar na apresentação de 45 minutos de Chicago,no começo de sua fala.

Obama disse que viveu e viajou em muitos lugares diferentes do mundo. "Então eu fui para Chicago. E naquelas ruas, eu trabalhei ao lado de homens e mulheres que eram brancos e negros, latinos e asiáticos, pessoas de todas as classes, nacionalidades e religiões".

"Eu descobri que Chicago é a mais norte-americana das cidades norte-americanas, mas também um lugar em que os cidadãos de mais de 130 países vivem em um rico mosaico de bairros singulares".

Obama, o primeiro presidente em exercício dos Estados Unidos a discursar em uma sessão do COI, disse: "Eu vim aqui hoje para pedir que vocês escolham Chicago pela mesma razão que eu escolhi Chicago há quase 25 anos, a razão pela qual eu me apaixonei pela cidade que eu chamo de casa".

A primeira-dama esteve na capital dinamarquesa por dois dias para fazer lobby com os membros do COI.   Continuação...

 
<p>O presidente dos EUA, Barack Obama, fala em Copenhague para promover a candidatura de Chicago. Chicago lan&ccedil;ou m&atilde;o de seus dois trunfos nesta sexta-feira, o presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle, ambos com discursos apaixonados em defesa da escolha da cidade norte-americana como sede das Olimp&iacute;adas de 2016.02/10/2009.REUTERS/Kevin Lamarque</p>