Para Lula, sede da Olimpíada deu cidadania internacional ao país

sexta-feira, 2 de outubro de 2009 18:36 BRT
 

Por Pedro Fonseca

COPENHAGUE (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira que a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016 dá ao Brasil sua "cidadania internacional" e minimizou uma vitória pessoal sobre o colega norte-americano Barack Obama.

"Aqueles que pensam que o Brasil não tem condições (de sediar os Jogos) vão se surpreender", disse o presidente a jornalistas, após comemorar efusivamente a vitória com autoridades da campanha da cidade, incluindo o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.

"O Brasil ganhou definitivamente sua cidadania internacional, nós não somos de segunda classe, somos de primeira classe", enfatizou o presidente, que chorou bastante diante da imprensa mundial durante entrevista coletiva reservada à cidade vencedora.

Lula, considerado por membros do Comitê Olímpico Internacional como decisivo para a vitória brasileira sobre Chicago, Madri e Tóquio, disse que os norte-americanos, por já terem realizado muitas Olimpíadas (oito entre Jogos de inverno e verão), não apresentaram uma proposta à altura do projeto do Rio.

Chicago era vista como favorita por especialistas e casas de apostas na Europa, especialmente após o anúncio de que Obama discursaria em defesa da cidade, mas acabou eliminada logo na primeira rodada da votação.

"Não fui eu que derrubei o Obama. O que estava sendo disputado eram dois projetos que tinham muitas coisas técnicas para serem discutidas entre os especialistas do COI", disse Lula.

O presidente disse ainda ter tido a impressão de que a presença de Chicago e Tóquio na cerimônia de escolha da sede dos Jogos de 2016 foi para "cumprir tabela".

"Queria dizer aos companheiros Obama, (o líder espanhol José Luis) Zapatero e (o líder do governo japonês, Yukio) Hatoyama que me desculpem por eu estar feliz e eles tristes hoje, mas vocês já fizeram Olimpíadas muitas vezes e para a gente é a primeira vez", disse Lula.

"O Brasil era o único país que queria de verdade fazer uma Olimpíada", acrescentou o presidente, que teve o nome aclamado pelos integrantes da candidatura durante a entrevista coletiva.

 
<p>Presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva se emocionou durante coletiva ap&oacute;s vit&oacute;ria do Brasil em Copenhague. REUTERS/Denis Balibouse</p>