Derrota olímpica entriste espanhóis, mas não os surpreende

sexta-feira, 2 de outubro de 2009 15:14 BRT
 

MADRI (Reuters) - Os espanhóis que se reuniram para torcer pela candidatura olímpica de Madri se dispersaram em clima de tristeza, mas sem surpresa pela vitória do Rio.

Alguns poucos brasileiros acenavam e dançavam depois do resultado, cercados por uma pacata multidão de espanhóis, na história Plaza del Oriente, onde milhares de pessoas se reuniram diante de um telão e vibraram quando receberam a notícia de que Chicago e Tóquio estavam fora do páreo.

Embora o entusiasmo tenha sido grande depois da eliminação de Chicago, que chegou a ser considerada favorita devido à presença do presidente dos EUA, Barack Obama, no processo de escolha, muitos disseram não esperar que Madri sediasse a Olimpíada de 2016, apesar do empenho do prefeito Alberto Ruiz Gallardón, do rei Juan Carlos e do primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero.

Foi a terceira vez que a capital espanhola tentou receber os Jogos.

"É lógico, a América do Sul nunca sediou os Jogos, e eles (o COI) nunca os dariam a duas cidades europeias em seguida. Não fiquei surpreso," disse o técnico de tecnologia da informação Miguel Angel, 36, referindo-se ao fato de que a Olimpíada de 2012 será em Londres.

Antes, a multidão agitava cartazes de papelão com o formato da mão espalmada e colorida que simbolizava a candidatura, que segundo as pesquisas tinha apoio quase unânime da opinião pública.

Depois do resultado, muitos se dirigiram aos bares da cidade para afogar as mágoas.

Falando de Copenhague pela tevê, Zapatero cumprimentou o Rio, mas acrescentou que a candidatura espanhola foi a melhor possível.

"Ganhou o samba, não o esporte," queixou-se Amador García, 50, que viajou de Ciudad Real para acompanhar a votação em Madri.

(Reportagem de Mark Elkington)