ANÁLISE-Rio deve vitória a empenho de Lula e a economia forte

sexta-feira, 2 de outubro de 2009 17:36 BRT
 

Por Karolos Grohmann

COPENHAGUE (Reuters) - O Rio de Janeiro, que era o grande azarão da disputa há um ano, tornou-se na sexta-feira a primeira cidade sul-americana a receber o direito de realizar uma Olimpíada, a de 2016, graças à eloquência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do recém-adquirido poderio econômico do Brasil.

Há um ano, era improvável que o Rio fosse o vencedor. As candidaturas fracas para 2004 e 2012 haviam levado a uma eliminação rápida, e a cidade brasileira parecia fadada ao fracasso novamente --tanto que ficou apenas em quinto lugar no relatório técnico do Comitê Olímpico Internacional (COI) no ano passado.

Os favoritos Chicago, Madri e Tóquio todos se saíram melhor --e até Doha, no Catar, teve uma avaliação mais positiva.

Mas o COI acabou dando ao Rio um questionável quarto lugar entre as finalistas, com direito de levar a candidatura à votação de sexta-feira em Copenhague.

"Aprendemos com aquelas candidaturas frustradas. Eu disse ao presidente (do COI) Jacques Rogge um dia depois da derrota (para os Jogos de 2012) que voltaríamos". disse o chefe da candidatura e do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, depois da vitória de sexta-feira.

Dúvidas a respeito da segurança pública e do financiamento para um evento como a Olimpíada --maior competição pluriesportiva do mundo-- atingiram seu auge depois dos Jogos Pan-Americanos de 2007. Para os organizadores, o evento regional foi um sucesso, mas críticos insistiram que foi um desastre.

Em junho deste ano, porém, a situação já havia mudado. A recessão global havia afetado mais duramente outros países --inclusive Estados Unidos, Japão e Espanha-- do que o Brasil.

FATOR MEIRELLES   Continuação...

 
<p>Rio de Janeiro deve vit&oacute;ria a empenho de Lula e a economia forte. REUTERS/Pawel Kopczynski</p>